Publicidade
Manaus
Manaus

Vídeo Blog de estudante chama a atenção da população para os problemas de Manaus

Com  VLOG(Víblog) De Frente Comigo, Fábio expõe suas críticas, comentários sobre diversos assuntos relacionados  a Manaus como transporte público, urbanização, educação, saúde e segurança pública 20/04/2012 às 17:43
Show 1
Estudante registra no Vídeo Blog problemas de Manaus
Maria Derzi Manaus

Preocupado com as diversas problemáticas que afligem a cidade de Manaus, o estudante de Educação Física Fábio Marreiro decidiu tomar uma atitude para tentar conscientizar a população através da Internet.

Com  o VLOG (Vídeoblog) De Frente Comigo, Fábio expõe suas críticas e comentários sobre diversos assuntos relacionados a Manaus como transporte público, urbanização, educação, saúde e segurança pública. "Eu acabei mudando a vertente do  Vlog e comecei a fazer críticas  sobre as diversas dificuldades da nossa cidade. Em apenas um mês, cheguei a mais de mil acessos, o que dentro de um contexto de um vlog significa bastante acesso”.

A cada semana, Fábio escolhe um tema específico e sai às ruas para captar as imagens e os comentários, através de seu celular. O vídeo é postado no vlog  todos os sábados, contendo seu "parecer" sobre o tema. "Meu primeiro vídeo foi sobre transporte público de Manaus. Esse teve mais de 7 mil visualizações", disse Fábio.

Fábio lembra que constatou o problema do transporte público quando ia da Zona Leste para a Zona Sul da cidade de ônibus. "Minha reclamação foi que eles aumentam, constantemente, o valor da passagem, mas não melhoram a qualidade do serviço.  Não posso dizer que não tem ônibus novos, porque tem. Mas a maioria são ônibus velhos. Eles pintam os ônibus para dizer que são novos", reclamou Fábio.

Durante a viagem, Fábio constatou a situação de desgaste dos veículos. "Eu entrei num ônibus lotado. Tinha muita gente em pé e um lugar vazio. Quando passei na catraca, eu vi que o lugar tava vazio mesmo, não tinha banco, só tinham os ferros. Aí, eu sentei lá e fiz o vídeo, falando sobre o estado do veículo e questionando 'porque a autoridade  máxima da minha cidade me deixa pagar R$2,25 pela tarifa e  passar aquela humilhação?'"contou.

Outro tema já abordado pelo vlog de Fábio foi a mudança nas nomenclaturas das ruas da cidade. "Esse vídeo teve bastante impacto com a população. (A mudança de nomes) foi uma ação política desnecessária. Ao invés dos políticos estarem fazendo projetos de lei para mudar o nome das ruas, deveriam fazer projetos que beneficiem a sociedade como um todo pautados em saúde, educação, segurança pública. Eles mudam e não avisam que determinada rua mudou de nome, e os próprios moradores ficam confusos com isso. Muitas  vezes, a gente dá o CEP de onde mora  e descobre que a rua que conhecia como Rua Ipiranga se transformou em Rua Joaquina. Qual a necessidade de fazer isso?", questionou o estudante.

Nesse vídeo, Fábio sugeriu aos políticos outras iniciativas. "Uma dica é que eles poderiam  criar o Museu da Memória Esportiva do Amazonas. Porque tem tanto material esportivo que está se perdendo... Um dos exemplos são as fitas de VHS que estão na Vila Olímpica que ninguém responsável teve a idéia de recuperar", disse o aluno.

Prosamim
Ontem, após a entrevista com A Crítica, Fábio realizou mais uma crítica sobre Manaus. Dessa vez o alvo foi o Prosamim. "Vou fazer uma comparação entre o trecho que foi construído do Prosamim e mostrar a disparidade que há com a área localizada, a menos de 200 metros, que não foi continuada. Um governo e meio do Eduardo Braga e um governo inteiro do Omar Aziz,  não continuaram essas obras na área que fica entre a Avenida Costa e Silva e a Rua Daniel Cervalho. Estamos a 50 metros da principal avenida de acesso do Pólo Industrial de Manaus e metade da rua está no fundo d´água. A maioria das casas daquela área, que era para ser atendida pelo Prosamim, vai ficar debaixo do igarapé daqui a 20 dias", previu Fábio.

O estudante acredita que as alagações foram intesificadas pelas obras do Prosamim. "Nós moramos, completamente, distante do igarapé, mas houve um assoreamento do igarapé e as obras do Prosamim encurtaram e diminuiram o trecho dele. E, o que aconteceu? A água vem e invade outros espaços que não foram urbanizados", salientou Fábio.

Para o estudante, as mídias sociais são ferramentas onde o cidadão pode se posicionar sobre os problemas da cidade em que vive. "Eu não faço parte de nenhum grêmio estudantil ou partido político. E nem tenho interesse nisso. Só quero exercer minha cidadania e mostrar  como nós, cidadãos manauenses, podemos usar as mídias sociais em favor de nossa cidade", concluiu.