Publicidade
Manaus
Cotidiano, Greve, Vigilantes, Sindevam, MPT/AM

Vigilantes do Amazonas decidem continuar greve

Categoria reivindica reajuste salarial de 27%, mas sindicato patronal durante negociações ofereceu apenas 6,52%, o que não foi aceito pelos grevistas 04/05/2012 às 13:49
Show 1
Concentração dos vigilantes em frente a uma agência bancária, no Centro de Manaus
acritica.com Manaus

A greve dos vigilantes segue sem data para término. A decisão de manter a paralisação das atividades é resultado da assembleia geral realizada na manhã desta sexta-feira (4), na sede do Sindicato dos Vigilantes do Amazonas (Sindevam), no bairro Betânia, Zona Sul de Manaus.

A categoria reivindica entre outras coisas um reajuste salarial de 27% – cujo valor base é de R$ 705 -, além de aumento no valor do vale alimentação, para R$ 15 o ticket, atualmente em R$ 9.

A proposta oferecida pelo sindicato patronal, de reajustar em 6,52% os salários dos vigilantes, não foi aceita pela categoria, que decidiu pela continuidade da greve.   

Nesta sexta-feira o Sindevam também passou a apoiar a paralisação da categoria, deflagrada na última quarta-feira (2).

Os reflexos da greve já podem ser observados nas agências bancárias – que não estão atendo o público, devido a falta de segurança -, bem como em postos de saúde do município e também em algumas escolas.

Sindicato dos Vigilantes, bairro Betânia, Zona Sul de Manaus, a categoria decidiu manter a greve, iniciada na quarta-feira (2).

Negociações
Na quarta-feira, o Ministério Público do Trabalho (MPT/AM) chegoua reunir com representantes grevistas e o sindicato patronal na tentativa de fazer com que a categoria retornasse aos trabalhos, por meio de um acordo entre as partes, o que não ocorreu.

Outra reunião com representantes do sindicato patronal, vigilantes grevistas e o MPT/AM, está prevista para ocorrer na próxima terça-feira (8), na sede do órgão, no bairro Nossa Senhora das Graças, Zona Centro-Sul de Manaus.