Publicidade
Manaus
Manaus

Vila da Zona Leste de Manaus está sendo ‘embelezada’

Apoiados por doações e artistas, moradores da Vila da Felicidade iniciaram pintura das casas 30/04/2012 às 08:02
Show 1
Comunitários começaram a pintar as suas casas no último sábado visando resgatar a beleza daquela área
jornal a crítica Manaus

Em meio a tintas, rolos de pintura e pincéis os moradores da Vila da Felicidade, no Mauazinho, Zona Leste de Manaus, deram inicio no último sábado as ações para “embelezar” as 180 casas daquela localidade. A ideia, segundo o presidente da associação dos moradores da vila, Julio César Santos, é resgatar a beleza do local pintando as casas com cores quentes e decorando-as com flores.

O morador Raimundo Souza deixou de pescar peixes para pintá-los na fachada da casa onde mora. “Sempre participo das ações da comunidade e como é para deixar minha casa mais bonita, aí, então, é que apoio mesmo a iniciativa”, disse.

Além dos peixes, Raimundo pediu ao artista plástico Buy Chaves, que coordenou os trabalhos, que fizesse na fachada um barco. “Hoje, ninguém pesca ou viaja sem barco; tenho que ter um barco também”, brincou.

A animação também tomou conta da moradora Joyce Pereira de Oliveira, que pintou sua casa de vermelho com detalhes em amarelo e branco. Ao contrário de Raimundo, que mora na vila há mais de 30 anos, Joyce, reside no local há pouco mais de um ano e afirmou que deseja viver na comunidade por longos anos.

“As pessoas aqui são como eu: simples. E é um bairro aconchegante e cheio de ações que movimentam a comunidade”, explicou ela.

Na avaliação do artista plástico Buy Chaves, o “embelezamento” desperta os moradores do local a praticar ações sociais, aguça a criatividade e é possível até descobrir pequenos gênios. É a segunda vez que Buy trabalha na Vila da Felicidade - ele já havia decorado a fachada da peixaria Moronguetá.

Parte dos galões de tintas utilizados veio de doações de uma empresa. O presidente da associação dos moradores da vila, Júlio César, acrescentou que além das casas de alvenarias, há diversas famílias morando a margem do rio que também integram a Vila e eles também terão a oportunidade de pintarem suas casas.

Mais de 1.300 volumes de lixo entre ferro, vidro, isopor, plástico e papelão foram recolhidos no final da Semana Santa pelos moradores da Vila. O material recolhido foi doado a um grupo de catadores de sucata do Mauazinho.