Publicidade
Manaus
Manaus

Visando sufocar o tráfico, Denarc solicita o ‘sequestro’ de bens de traficantes presos, em Manaus

O Dernac solicitou, no fim do ano passado, o sequestro de uma mansão em um condomínio luxuoso, o Residencial  Ponta Negra 1, localizado na avenida Coronel Teixeira, na Zona Oeste da capital 20/01/2016 às 09:52
Show 1
Mansão avaliada em mais de R$ 1 milhão, está localizada em um condomínio de luxo na Ponta Negra, na Zona Oeste
Kelly Melo Manaus (AM)

O Departamento de Investigação sobre Narcóticos (Denarc) da Policia Civil começou a pedir o sequestro de bens de traficantes presos no ano passado. Nesses casos, os criminosos  adquiriram bens, imóveis e automóveis de luxo com o dinheiro do tráfico de drogas. O objetivo é diminuir o poderio financeiro das facções criminosas e assim, “sufocar” ainda mais o tráfico de drogas no estado.

O primeiro passo já foi dado. O Dernac solicitou, no fim do ano passado, o sequestro de uma  mansão em um condomínio luxuoso, o Residencial  Ponta Negra 1, localizado na avenida Coronel Teixeira, na Zona Oeste da capital.

O imóvel, que pertence ao traficante Williams Rodrigues Maia, 27, o “Lourinho”,  conhecido da polícia como o “braço rico” da facção criminosa Família do Norte (FDN). Ele foi preso por agentes do Denarc, em março com aproximadamente 200 kg de cocaína e maconha skunk, avaliado em mais de R$ 1,5 milhão, além de cinco armas de grosso calibre e munições que estavam escondidos em duas mansões  na Ponta Negra.

“Um dos nossos focos este ano é combater o tráfico de drogas atacando o esquema financeiro das facções. Já pedimos o seqüestro de bem dessa mansão, por exemplo, e já existe até um parecer o Ministério Público do Estado. Se conseguirmos, após ser levada a leilão, o valor adquirido será investido em recursos para melhorar o sistema de segurança, principalmente no combate ao tráfico”, explicou o delegado Thyago Tenório, ao informar que outros pedidos semelhantes a este já foram encaminhados à Justiça do Amazonas e estão em análise, mas em segredo de justiça.

“Por enquanto não podemos dar muitos detalhes sobre esses pedidos, mas é algo novo que o Denarc está fazendo e acreditamos que isso vai surtir efeitos positivo em nossas investigações”, destacou.

O diretor do Denarc, Samir Freire, explicou que além de prender traficantes ou apreender grandes quantidades de drogas, é importante  identificar os “bens” por eles adquiridos, porque só assim será possível evitar que as organizações se reestruturem. “Muitas vezes, esses criminosos investem esse dinheiro ilícito em terrenos, casas, automóveis ou utilizam laranjas para fazer a lavagem de dinheiro, através até mesmo de empresas de fachadas. Quanto menos dinheiro eles tiverem, menor será o poderio econômico deles”, ressaltou.

Denarc como fonte para as delegacias

Segundo o diretor do Denarc, Samir Freire, o departamento  também tem a função de munir de informações as delegacias especializadas com o intuito de diminuir os números de homicídios e roubos, que geralmente estão associados ao tráfico.

“No ano passado esses traficantes tiveram um prejuízo muito grande, devido às apreensões que foram realizadas e o desmantelamento da facção Família do Norte (FDN)”, disse.

“Quem estuda organizações criminosas sabe que, com isso, essas pessoas vão migrar para crimes secundários, como homicídios e roubos para manter a renda ilícita. Por isso, estamos trabalhando em parceria também com as especializadas”, explicou ele, mencionando a Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS) e Roubos e Furtos (DERF).

Mudança

Atualmente em funcionamento nas dependência da Delegacia Geral, no Dom Pedro, na Zona Centro-Oeste, ainda este ano, o Denarc vai mudar de endereço.

Nova sede

A nova sede do Denarc ficará situada na avenida Brasil, na Compensa, Zona Leste, onde vai dividir espaço com 21º Distrito Integrado de Polícia (DIP). As obras estão em fase de acabamento.