Publicidade
Manaus
Manaus

Vizinho é acusado de homofobia na Zona Sul de Manaus

Raimar Soeiro afirma ter sido ameaçado de morte. Vizinho diz que ele é pedófilo 12/03/2012 às 07:57
Show 1
Raimar mostra laudo de lesão corporal
Maria Derzi ---

Uma briga entre vizinhos,envolvendo questões de homofobia e  promiscuidade, trás transtornos aos moradores do Conjunto Petrópolis, bairro Petrópolis, zona Sul de Manaus. O atendente Raimar Gomes Soeiro, 27, que  já responde inquérito por pedofilia,morador da Rua 09, nº 103, Conjunto Petrópolis ingressou com uma denúncia crime na 3ª Cicom contra seus vizinhos da frente  por ameaça de morte. Segundo Raimar, a família do motorista Wilson Brasil não aceita sua condição de homossexual e, na manhã de ontem (11), o ameaçou de morte .Já a família de Wilson  alega que o vizinho da frente tem comportamento promíscuo, alicia menores de idade e causa transtornos à vizinhança.

Em 2010, Raimar Gomes Soeiro foi preso e passou a responder processo por pedofilia, acusado de ter mantido um menor em cárcere privado para fins sexuais. Mas, o atendente nega e diz que tudo não passou de uma armação. “Eles colocaram o menino lá, quando eu cheguei em casa tava a polícia me esperando. Fiquei 15 dias preso porque eles me discriminam, porque eles não gostam de gay”,disse.

Raimar diz que foi surrado pelo filho e pelo sobrinho da vizinha.  “Eu levei vários chutes, paulada na cabeça, me machucaram muito. Eu tenho o laudo de lesão corporal que fiz na polícia. Eu cheguei dar parte deles na polícia. Todos eles querem me desclassificar porque sou gay. Por conseqüência disso fiquei com síndrome do pânico”, disse o atendente. Ontem, o atendente disse que o próprio José Wilson o ameaçou de morte. “Ele disse que o que é teu tá guardado, só espera para ver”,concluiu.

Já a família de José Wilson Brasil nega que se importe com a condição sexual de Raimar, mas acha o comportamento do vizinho incômodo e incoveniente.“A gente não tem nada haver com a vida dele não. Mas, a gente não pode sair de casa que ele joga xaveco para  nossa família. A minha sogra tem uma denúncia contra ele na delegacia do idoso. Ele foi apenado e não pode mais estar mexendo com a minha sogra.Ele tá respondendo por cárcere privado, estupro de menores. Eu vi o menino entrar ai e gritar por socorro. Eu fiz a denúncia para a polícia que veio aí. Ele tava debaixo da cama e confirmou tudo”. 

Quando questionado sobre a suposta ameaça direcionada a Raimar, José Wilson admite que falou com o vizinho na manhã de ontem.“Quem isso para ele fui eu mesmo. Não adianta briga com ele porque o dia da audiência tá chegando.Um cidadão desses que expulsa a mãe daí para viver levando gente para aí, não tem crédito nenhum para fazer denúncia”, disse.

A técnica em patologia, Aldenora Santos, esposa de Jospe Wilson disse que Raimar tentou assediar seu filho. “ Eu tive que mandar meu filho para o Rio de Janeiro para afastar ele daqui. Ele beliscou minha mãe e jurou de dar dois tiros na cabeça dela.Chamou a minha mãe de preta e macumbeira.A gente presenciava ele trazer os adolescentes aí, todo final de tarde. Aí nós denunciamos o que acontece e a confusão começou”, disse Aldenora.