Publicidade
Manaus
AJUDA

Ainda no RJ, Zé Gotinha da Floresta perde a cabeça e quer ajuda para recuperá-la

Personagem foi criado por maratonista manauara com o intuito de incentivar a doação de sangue; ele perdeu parte da fantasia após participar da Meia Maratona do Rio de Janeiro 21/08/2017 às 19:57 - Atualizado em 21/08/2017 às 20:11
Show capturar
"Me tornei atleta diante das necessidades de minha esposa", conta Sérgio (Foto: Mauro Neto / Sejel)
Tiago Melo Manaus (AM)

Há 12 anos encarnando o personagem Zé Gotinha da Floresta e correndo em prol da doação de sangue, o maratonista manauara Sérgio Silva, de 53 anos, esqueceu, na tarde de ontem (20), após ter corrido a 21ª edição de Meia Maratona do Rio de Janeiro, a cabeça de sua fantasia em um táxi.

O funcionário público contou que espera encontrar a fantasia antes de sexta-feira (25), quando deverá ir à Vitória, no Espírito Santo, para participar de uma corrida solidária e ser homenageado.

"Junto com a fantasia estava as minhas medalhas e de minha mulher, além de uma câmera com todo o registro da corrida. Esta foram os primeiros 21km que ela correu e completou desde que foi diagnosticada com câncer de intestino há alguns anos e passou por 23 cirurgias", comentou ele.

De acordo com o funcionário, ele já buscou a ajuda de diversas pessoas, inclusiva da associação dos taxistas do Rio de Janeiro, mas até agora ele não obteve resultados. "Essa cabeça não vai servir de nada para mais ninguém. Peço encarecidamente que me devolvam logo. Preciso dela", pediu o atleta.

Sérgio Silva contou que possui uma fantasia reserva em Manaus para caso o personagem precisa estar presente em mais de um evento ao mesmo tempo. "Um amigo de Parintins que a fez para mim. Não lamento a perda pelo preço pago, mas sim pelo valor histórico e emocional", disse ele.

Como tudo começou

"Me tornei atleta diante das necessidades de minha esposa", conta Sérgio, ressaltando que o projeto de correr como forma de incentivo para as pessoas doarem sangue começou há 12 anos.

"No mesmo período em que ela foi diagnosticada com câncer, eu comecei a trabalhar no Hemoam com crianças com câncer. Vi a necessidade que eles passavam e como uma bolsa podia salvar vidas", disse.

Segundo ele, o personagem ajuda as pessoas a se solidarizarem com a causa. "No início me chamavam de doido, hoje já conhecem e respeitam a causa. Já sabem a importância que o Zé Gotinha da Floresta tem", concluiu ele. Quem tiver informações sobre a fantasia, pode entrar em contato com Sérgio através do número (92) 99204-5521.