Publicidade
Multimídia
Multimídia

Procura por emissões de Carteiras de Trabalho e Previdência Social cai 8% em Manaus

Entre janeiro e novembro de 2012 (dados atualizados) foram expedidas 133,75 mil carteiras de trabalho no Amazonas, uma queda significativa comparada à 2011 28/12/2012 às 11:29
Show 1
Efeitos ruins da crise econômica no PIM foram sentidos também na demanda por carteira de trabalho, diz SRTE
Luana Gomes ---

O “resfriamento” da economia amazonense, especialmente no Polo Industrial de Manaus (PIM), se refletiu na emissão de Carteiras de Trabalho e Previdência Social (CTPS). Segundo dados da Superintendência Regional do Trabalho e Emprego do Amazonas (SRTE-AM), de janeiro a novembro (133,75 mil carteiras), houve queda de 8,76% no número de emissões, quando comparado a igual período de 2011 (146,58 mil).

De acordo com o superintendente Dermilson Chagas, quando existe mercado aquecido, a busca por tirar carteiras é muito grande, mas, principalmente, por causa da desaceleração no Distrito, houve diminuição. Levantamento do Sindicato dos Metalúrgicos do Amazonas (Sindmetal-AM) mostra que, até novembro, foram demitidos 21,60 mil funcionários do PIM, alta de 55,45% em comparação a igual período do ano anterior (13,89 mil).

Além disso, Chagas observou que a redução na busca por segunda via também foi uma das influências. Segundo ele, há quem acredite que o registro de saída de um emprego temporário com período de três meses pode “sujar” a carteira, o que faz com que procurem a segunda-via.

Apesar da era da informática, a expedição de carteiras manuais – que leva em torno de 15 dias – foi superior a de informatizadas, quando o documento sai, em média, após uma hora, especialmente com os pedidos oriundos do interior. Conforme as estatísticas, foram 77,54 mil carteiras frente a 58,86 mil informatizadas.

(A íntegra deste conteúdo está disponível para assinantes digitais ou na versão impressa).