Publicidade
Multimídia
Multimídia

Quadrilha considerada de alta periculosidade é presa em Manaus

Um dos integrantes do grupo seria um dos “Irmãos Metralhas”, quadrilha de narcotraficantes que dominava o tráfico de drogas na Zona Norte da cidade 07/05/2012 às 19:51
Show 1
Um dos membros da quadrilha pertence aos "Irmãos Metralha"
Catiane Moura Manaus

Policias da Força Tarefa da Secretária de Segurança Pública (SSP), prenderam na manhã desta segunda-feira (7), uma quadrilha de alta periculosidade suspeita de tráfico de drogas e vários homicídios em Manaus.

Um dos integrantes do grupo, Jadson Charles Dias Gomes, 33, seria um dos “Irmãos Metralhas”, quadrilha de narcotraficantes que dominava o tráfico de drogas na comunidade Mundo Novo, na Zona Norte da cidade.

Na noite do último domingo (6), o grupo formado por quatro irmãos, conhecidos como Irmãos Metralhas foi desarticulado depois da execução de dois deles: Jacob Jessé França Dias, 28, o “Jacozinho” e Joelson Dias Franças, 29, o “Jojoba”, assassinados com mais de 60 tiros, no Conjunto Jardim Versalles, na Zona Centro-Oeste.

Depois do duplo homicídio e da prisão de Jadson, resta apenas um dos irmãos metralhas, conhecido apenas como “Jefinho”, considerado pela polícia o líder de uma das facções criminosas da Zona Norte. Ele ainda está foragido.

Conforme policiais da Força Tarefa, Jadson foi preso, por volta das 9h, em uma residência, na rua 10,  n° 79, na Comunidade Mundo Novo, junto com a esposa  Selene Teixeira Dias, 37,  Claudionor de Lima Freitas ,37, o “Rato” e o cadeirante Denis Suzano Leite Cordovil, 28, o “Duda”, que já possuía  mandado de prisão preventiva por tráfico de drogas.

Na casa dos suspeitos, a polícia apreendeu duas metralhadoras 9mm, uma pistola 9mm, um revólver calibre 38, 48 munições 9mm, cinco munições de calibre 38, quatro bala clava, um cofre digital, uma TV LCD, dez celulares, três capacetes e dois veículos: um Eco Esporte vermelho, placas JXS-4254 e um Civic de cor cinza, placas JXE-9832.

Segundo policiais da Força Tarefa, há duas semanas o grupo vinha sendo investigado.  Várias denúncias feitas pelo 181, ajudaram na prisão dos suspeitos.

A titular do 12° Distrito Integrado de Polícia (DIP), Hosana Gomes, informou que também já era alvo de investigação da Delegacia Especializada em Homicídios (DEHS) e da Delegacia de Prevenção e Repressão a Entorpecentes (Depre).

 Conforme ela, o grupo vai responder na justiça por porte ilegal de arma de fogo de uso restrito e uso permitido, tráfico de entorpecentes e formação de quadrilha.

Metralhas ameaçam delegada

Os “irmãos metralhas” também são suspeitos de terem bolado um plano para executar a delegada Lia Gazineu Carneiro e o esposo Euler Carneiro. O casal foi obrigado a mudar de endereço por conta das ameaças de morte que vinha recebendo do grupo.

Lia Gazineu era a titular da Delegacia Especializada em Crimes Contra a Mulher (DECCM) e, por conta das ameaças, precisou assumir outra delegacia.

Segundo a polícia, o casal teve conhecimento de que, no último dia 25 de março, “Jefinho”, líder dos metralhas havia bolado com os irmãos um plano para matar o casal.