Quarta-feira, 03 de Junho de 2020

Psicologia da felicidade e bem-estar

*Por José Trintin Junior, psicólogo da equipe da Equilibrium Saúde


20/05/2020 às 17:46

Em época de procura desenfreada por felicidade, realização pessoal, realização profissional, prazer, riqueza e status, observamos muitas pessoas infelizes, perdidas, ansiosas e deprimidas então perguntamos o porquê de tamanha dificuldade em alcançar a tal “felicidade”.

Nos idos anos 90, após muitos estudos científicos, o presidente da Associação Americana de Psicologia, professor Dr. Martin Seligman, idealizou e sistematizou o modelo da “Psicologia Positiva” onde estruturou a natureza da felicidade e do bem-estar através da análise inicial da pirâmide de necessidades básicas do ser humano, formulada por Maslow, classificando as necessidades em  fisiológicas em sua base, necessidade de segurança, necessidades sociais, necessidade de estima  e de autorrealização em seu ápice. Mais tarde foram acrescentadas as necessidades cognitivas, estéticas e de transcendência.

Estudos científicos demonstram que pessoas com sentido na vida relatam serem mais felizes e satisfeitas com seus trabalhos e família sendo menos ansiosas e deprimidas e, concomitantemente, o propósito de vida também colabora com tal constatação, entendendo o propósito como os objetivos centrais da motivação forjando as metas, criando sentido e significado para a vida.

Sentido e Propósito andam lado a lado e são exaustivamente trabalhados nas sessões psicoterapêuticas de Psicologia Positiva, estabelecendo, desta forma, núcleos fundamentais para o bem-estar pessoal, com evidenciada atenção aos elementos da autoaceitação, domínio sobre o ambiente, crescimento pessoal, propósito de vida, relações pessoais saudáveis com outras pessoas e autonomia (modelo de bem estar psicológico de Carol Ryff).

Sendo assim, estabelecido em parâmetros científicos, podemos afirmar que a presença de sentido e propósito de vida está diretamente relacionada ao alcance da felicidade, pois proporcionam vitalidade essencial. Ao passo que sua ausência causa tédio e desesperança estando, portanto, intrinsecamente ligado ao crescimento pessoal. Destaco aqui estudo de Victor Frankl, que categoricamente afirma que a vida não tem sentido apenas nas coisas boas, pois pode-se extrair sentido na adversidade e sofrimento.

Desta forma, afirmamos categoricamente que a psicoterapia evoluiu no sentido de explorar e cultivar emoções positivas genuínas, forças de caráter, significado e propósito de vida, amplificando o que é bom sem minimizar o sofrimento psíquico. A Psicoterapia Positiva é considerada como uma reorientação terapêutica, onde se estabelece parâmetros para cultivar emoções positivas ajudando os pacientes a aprender competências concretas e relevantes, utilizando suas forças de caráter para estabelecer uma vida  de engajamento, satisfação e significado.


Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.