Quinta-feira, 20 de Fevereiro de 2020

Voluntariado Cidadão, o bem que transforma


06/06/2016 às 16:38

por Antonia Muniz 

Em tempos modernos, as pessoas atuam em movimento sustentáveis e sociais que deixam excelentes resultados. Estamos falando do trabalho voluntário cidadão, no qual as experiências são incríveis e deixam marcas profundas. Há uma troca de conhecimento e relevância tanto para quem recebe quanto para quem presta o serviço. As propostas são diversificadas quando se trata de ajudar alguém. Há um zelo pela vida e pelo país, há um engajamento de quem se disponibiliza e comprometimento com a causa.

Realizar um trabalho voluntário de cidadania requer um querer próprio de ser, de pensar no objetivo da causa, de manifestar interesse pelo resultado que o trabalho pode deixar para a humanidade e para o mundo. É uma aventura solidária que produz troca de conhecimento e aprendizado a vida inteira.

 A força que há em um trabalho de voluntariado de cidadania é de magnitude incalculável e de extremo respeito às diversidades. Cada um leva sua boa vontade e espírito de hospitalidade, humanitário, amizade e orgulho de fazer parte de um programa que nunca ouvira falar, mas que podem se entregar de corpo e alma, colocando em prática seus talentos e emoção na promoção de erguer a bandeira da paz interior que carrega ao executar tal ação de cidadania.

No ano de 2001, a ONU instituiu o Ano Internacional do Voluntário, com adesão de 132 países. A iniciativa pretendia reconhecer e incentivar o trabalho dos voluntários, aqueles que doam seu tempo e talento aos que precisam de ajuda, estimulando outras pessoas a fazerem o mesmo. Formou-se um comitê brasileiro para gerir o Ano Internacional do Voluntariado no Brasil, coordenando atividades que buscavamsensibilizar pessoas e organizações sociais para o trabalho voluntário. O trabalho voluntário foi regularizado recentemente no Brasil pela Lei 9.608/98, e muitas iniciativas têm surgido em várias regiões do País.

Oportunizar a cultura de voluntariado de cidadania é abrir portas para novos caminhos, é construir atores sociais e agentes de transformação para um bem comum.

Para exercer o papel de voluntário(,) deve se ter uma preparação de como fazê-lo,aprender sobre conceitos e história do voluntariado, conhecer seus direitos e deveres, sobre a lei do serviço voluntário e de como trilhar o caminho de atuação nos vários seguimentos e propósitos do programa, assim pode ser criado um perfil de consciência do trabalho que irá ser realizado. Além disso, ter ciência de que o trabalho não gera vínculo empregatício e nem recebimento de ônus pelo serviço prestado. Dependendo do programa, pode receber alguns benefícios como alimentação, transporte, certificado e seguro de vida. Para fazê-lo é necessário um termo de adesão com todos os objetivos do programa, assim ambas as partes podem realizar as atividades sem maiores preocupações.

Não se deve esquecer, contudo, que o trabalho voluntário exerce uma força de cidadania privilegiada para quem participa da construção de algo que venha a ser a realização de sonhos, a concretização pessoal e profissional daqueles que nuncareceberam oportunidades, daqueles que sem nenhuma esperança conseguiram receber com amor e zelo um serviço solidário. A capacidade de cada um doar o seu tempo a quem tem sede de carinho, de sorriso, de atenção(,) é um bem mútuo, é a validação de cultura de um bem maior de transformação na sociedade, que traz benefícios em dobro e solidifica a ação humanitária e o crescimento interior de cada indivíduo.

*Antônia Muniz é administradora, com 23 anos de experiência na área de recursos humanos em grandes empresas do polo industrial de Manaus, além de ser especialista em Responsabilidade Social, MBA em Gestão de Pessoas. Faz parte como voluntária da Diretoria de Integração e Qualidade de Vida na ABRH-AM. Atuou como Assessora na Unidade Gestora do Projeto Copa, Câmara Copa Social, articulando os diversos grupos da sociedade a desenvolver projetos de capacitação e cultura da cidade, desenvolvimento trabalhos de prevenção no campo social e captação etreinamento de voluntários para a Copa do Mundo Fifa 2014. Em 2015 assumiu a Gerencia de RH onde deu apoio na área RH, Contratos e Projetos na Fundação Vila Olímpica Danilo Duarte de Mattos Areosa, e hoje faz parte do Comitê Organizador dos Jogos Olímpicos Rio 2016 em Manaus, fazendo parte do Grupo Temático Voluntariado na Coordenação Geral do Projeto AJURI - Voluntários da Amazônia, do Governo do Estado do Amazonas.


Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.