Quinta-feira, 20 de Fevereiro de 2020

Aparências enganam: alguns alimentos podem nos pregar uma peça na hora de adotar hábitos mais saudáveis

Conversamos com a nutricionista do Vigilantes do Peso, Gabriella Gachet, que fez um alerta para não cairmos nessas armadilhas


09/05/2017 às 18:21

Por Lucy Rodrigues

Atire a primeira barrinha de cereal quem, ao começar uma dieta ou resolver adotar uma vida mais “fitness”, não foi ao supermercado e encheu o carrinho de opções como biscoitos integrais, sucos, chás ou iogurtes lights, achando que assim estaria comendo super melhor. O problema é que muitos desses alimentos podem esconder várias pegadinhas na sua composição.

Para ajudar quem está em busca de melhorar a alimentação e adotar um estilo de vida mais saudável,  conversei com a nutricionista do Vigilantes do Peso, Gabriella Gachet, que fez um alerta para não cairmos na armadilha de alguns alimentos que, na correria do dia a dia, podem até parecer  práticos, mas nem sempre são tão saudáveis quanto pregam.

Em reportagem publicada no caderno Vida & Estilo, ela listou sete alimentos que devem receber atenção especial:

 

  1. Sucos de caixinha

Na correria do dia a dia, pode parecer muito prático e saudável comprar sucos de caixinha e tomar no lugar do refrigerante, certo? O problema é que a maioria dos sucos prontos para beber possuem mais água, açúcar e conservantes do que fruta. O melhor é optar por sucos naturais, feitos em casa e consumidos na hora, ou pela própria fruta, que possui mais vitaminas, fibras e minerais quando é consumida inteira do que batida.

  1. Barras de cereais

Outro alimento que é rapidamente incluído na nossa alimentação quando pensamos em uma vida mais saudável são as barrinhas de cereais. Mas elas também escondem muito açúcar e gordura em sua composição, principalmente as com cobertura de chocolate. O essencial é olhar no rótulo os ingredientes: os cereais integrais ou castanhas devem ser os primeiros da lista de ingredientes. Procure também por ingredientes como xarope de glicose, glucose de milho, açúcar invertido ou maltodextrina: todos eles são tipos de açúcares e muitas vezes uma barrinha tem mais de um tipo na composição. Você pode fazer um mix de frutas secas em casa para levar na bolsa e comer no lugar das barrinhas industrializadas, utilizando damasco, castanhas, amendoim sem sal e nozes, por exemplo.

  1. Peito de peru

O peito de peru pode não ser um alimento assim tão bom para quem está pensando em se alimentar melhor. Isso porque pode possuir teores elevados de gordura e sal. Frango desfiado, atum em conserva de água e queijos brancos são fontes de proteínas magras mais saudáveis que o peito de peru.

  1. Biscoitos integrais

Novamente, o segredo está em olhar o rótulo. Se o primeiro ingrediente não for farinha integral, pode deixar na prateleira. Muitas marcas de biscoitos ditos integrais usam em suas receitas uma quantidade maior de farinha refinada do que de farinha integral. Fique atento também à quantidade de gordura, que pode ser alta. Sempre que possível, compare os produtos entre si para fazer uma escolha melhor.

  1. Chá gelado industrializado

Assim como os sucos de caixinha, os chás gelados em lata ou garrafa nem sempre são tão naturais quanto parecem. Além de conservantes e aromatizantes artificiais, podem conter grandes quantidades de açúcar. Você pode preparar o chá ou mate em casa e aromatizar com frutas, canela, gengibre ou hortelã.

  1. Sopas instantâneas

Além da alta quantidade de sódio, que podem chegar a quase o triplo da ingestão recomendada em um dia, as sopas industrializadas não contêm os nutrientes presentes nos legumes frescos, como vitaminas e fibras. Elas podem até ser práticas e parecerem inofensivas, mas nada como uma boa sopa de legumes caseira.

  1. Iogurtes e requeijão

Quanto menos ingredientes, melhor. Tanto o iogurte quanto o requeijão não devem apresentar nenhum tipo de farinha, como amido, ou gordura vegetal em sua composição. Evite os iogurtes com caldas de frutas, normalmente feitas à base de açúcar e os requeijões com sabores como cheddar ou gorgonzola, que podem mascarar a presença de gorduras e aromatizantes artificiais. Por isso, observe bem os ingredientes descritos nos rótulos de cada produto antes de comprar.

 

Mas às vezes também pode acontecer o contrário, um alimento que é tido como vilão pode ser perfeitamente incluído em uma dieta saudável. Confira as dicas:

 

  1. Porco

 Um alimento que as pessoas costumam ter bastante preconceito é a carne de porco. Por incrível que pareça, a carne de porco é uma carne magra, rica em proteína, potássio e fósforo e possui menos colesterol do que o camarão, por exemplo. Incluir cortes como lombo ou bisteca, sem gordura e feitos no forno ou grelha, é uma excelente opção para variar o cardápio.

  1. Abacate

 Apesar de muito calórico, é rico em gorduras boas como o ômega 3, que atua como antioxidante, ajuda a melhorar a circulação sanguínea e melhora o controle do colesterol.

  1. Ovo

Excelente fonte de proteína, ferro, potássio, vitamina A, vitaminas do complexo B, zinco... Apenas um ovo oferece 80 calorias e a maioria desses nutrientes encontra-se na gema. Pesquisas demonstraram que o ovo possui um nutriente essencial para o funcionamento cardiovascular e cerebral chamado colina, que ajuda a metabolizar e diminuir a homocisteína, cujos elevados níveis no organismo estão associados a doenças cardiovasculares.

  1. Chocolate

 O chocolate amargo é rico em sustâncias antioxidantes, que combatem doenças e o envelhecimento precoce, além de vitaminas e minerais. No Vigilantes do Peso nós sugerimos que você comer até 30g de chocolate com teor de cacau acima de 50% todos os dias, sem comprometer a dieta. A regra é equilíbrio, sempre.

 

Confira a seguir a entrevista completa com a nutricionista do Vigilantes do Peso :

Gabriella Gachet é Formada  em Nutrição pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ)  e pós-graduada em Segurança Nutricional e Qualidade de Alimentos na Gama Filho

1)      Que tipo de alimentos as pessoas que querem ter uma vida mais saudável ou emagrecer devem privilegiar?

O ideal é reduzir e, de preferência retirar, os alimentos que não trazem nenhum benefício à saúde, como refrigerantes, salgadinhos e biscoitos recheados. Esses alimentos só contribuem com calorias vazias, ou seja, aquelas que só nos fazem ganhar peso, sem trazer nenhum tipo de benefício ao organismo. Devemos privilegias as frutas, verduras e legumes, iogurtes, carnes magras, grãos, alimentos mais naturais, que passem pelo mínimo de processos de industrialização. Só de realizar essa troca, já começamos a ver resultados na balança. 

2)      Há algumas opções industrializadas/enlatadas consideradas saudáveis? 

Como eu falei anteriormente, precisamos sempre avaliar o rótulo dos produtos. É claro que muitas vezes parece mais prático comprar um suco pronto na garrafa ou caixinha do que comprar a fruta, lavar, descascar, espremer e ainda ter que lavar toda a louça depois. Porém, nem sempre essa praticidade compensa em termos de benefícios à saúde, sua e da sua família. Hoje já conseguimos ter algumas opções de sucos engarrafados e sem adição de açúcar ou conservantes, como os sucos de uva integrais. Também já encontramos com mais facilidade pães e massas totalmente integrais, molhos de tomate sem adição de gordura, iogurtes naturais, sem açúcar e corantes. Fique de olho no rótulo para fazer escolhas mais saudáveis.

3)       Além de escolhas erradas, há alguns hábitos que devem ser evitados que também prejudicam quem quer adotar uma alimentação mais saudável ou perder peso como não dormir e não jantar.  Pode falar sobre eles e/ou citar outros exemplos?

O sono é fundamental para a saúde de qualquer um. Durante o sono nosso organismo realiza inúmeras funções importantes, como consolidação da memória e das coisas que aprendemos durante o dia, reparação de tecidos e neurônios, produção de hormônios, como o hormônio do crescimento, entre outros. Isso sem contar que uma boa noite de sono nos dá muito mais disposição para encarar a rotina no dia seguinte. Não jantar também é um hábito que muitas pessoas têm e que não é nem um pouco saudável, pois aumenta ainda mais o tempo que o organismo vai ficar em jejum até o dia seguinte; o ideal é fazer uma refeição leve até 1 hora antes de dormir. Na verdade, pular qualquer refeição é prejudicial, já que passar muito tempo em jejum pode trazer consequências negativas ao organismo, como tontura, dor de cabeça, utilização das proteínas dos músculos para produção de energia, além de aumentar o risco de exagerar na ingestão de alimentos na próxima refeição. Outros hábitos como praticar jejuns prolongados, praticar atividades físicas em jejum, retirar totalmente a gordura ou os carboidratos da dieta também podem ser extremamente prejudiciais à saúde, além de comprometer até mesmo o processo de perda de peso.

4)      A grande dificuldade de quem quer uma alimentação mais saudável é concilia-la com uma rotina atarefada e com compromissos fora de casa. Pode dar algumas sugestões de snacks ou lanchinhos no lugar dessas opções industrializadas?

Nós do Vigilantes do Peso temos várias dicas e receitas de lanches práticos e saudáveis para o dia-a-dia. Ter uma fruta na bolsa também é coringa. Dê preferência a frutas que são mais resistentes e fáceis de carregar e comer, como maçã, pera, banana, tangerina e uvas. Preparar seu próprio mix de frutas, com nozes, castanhas, amendoim sem sal, passas e damasco também é uma excelente opção, gostosa, saudável e fácil de levar. Você também pode preparar seu próprio sanduíche natural, com recheio de frango ou atum, iogurte natural e cenoura ralada e levar para comer na rua, desde que não fique por muito tempo com ele na bolsa ou na mochila, para não haver o risco de estragar.

 

5)      E os alimentos considerados estimulantes e muito utilizados por quem pratica atividade física como café, guaraná, açaí? Quem pode consumir? Há restrição? É preciso cuidado?

Quando consumidos com equilíbrio, esses alimentos podem ser incluídos sem problema na alimentação pela maioria das pessoas. Agora se forem em forma de cápsulas ou pó concentrado, não são todos que podem fazer uso desses estimulantes. Quem sofre de problemas cardíacos ou pressão alta, mulheres grávidas ou amamentando não devem em hipótese alguma utilizar esse tipo de suplemento sem acompanhamento adequado. Não é porque o colega ou a vizinha usam que você pode usar também. Há muitos casos em que pessoas utilizaram sem acompanhamento correto um suplemento aparentemente inofensivo e que tiveram problemas de saúde por isso.  O mais importante é somente utilizar qualquer tipo de suplemento alimentar com autorização e acompanhamento do seu médico ou nutricionista.

6)      Por fim, vemos muita gente buscando dietas da moda incluir alimentos especiais pensando que os mesmos vão fazer milagres.  Casos como óleo de coco, sal rosa do Himalaia, quinoa são exemplos.   Em que medidas esses ou outros alimentos ditos funcionais realmente contribuem para a melhoria da qualidade de vida e da saúde? Há outras alternativas?

A maioria desses alimentos recentemente ditos “funcionais” ou “milagrosos” não foram estudados o suficiente para afirmarmos que realmente trazem algum benefício para a saúde. Recentemente, a Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia lançou um posicionamento contra o uso de óleo de coco com função de emagrecimento, já que, além dos poucos estudos realizados, o óleo de coco possui gorduras saturadas em quantidades elevadas, o que aumenta o risco de desenvolvimento de doenças cardiovasculares. Há diversas opções mais saudáveis de óleos que trazem muito mais benefícios para a saúde, como o azeite de oliva, o óleo de linhaça e até mesmo o de soja, quando não utilizado para frituras. Em relação ao sal rosa, ele realmente possui mais minerais e menos sódio que o sal refinado comum, mas a quantidade de sal rosa que deveríamos consumir para atingir as necessidades do organismo deveria ser incrivelmente alta. Ele pode até ser um utilizado como substituto ao sal refinado, mas para garantir os minerais e vitaminas necessários ao bom funcionamento do nosso corpo, não há nada como as tradicionais frutas, verduras e legumes. A quinoa é uma boa fonte de proteínas, vitaminas e fibras e pode ser incluída na dieta sem problemas. Não que ela seja um alimento milagroso, mas sim um alimento saudável e que pode ser utilizado para complementar a nossa alimentação. Não existe um alimento milagroso, com poderes capazes de secar a barriga em um instante. O mais importante é sempre checar se as informações são de fontes confiáveis, se foram feitos estudos suficientes e sempre consultar um nutricionista para tirar suas dúvidas e te auxiliar a ter uma alimentação mais saudável. 

 

 

 


Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.