Quinta-feira, 20 de Fevereiro de 2020

Depois de três décadas, Sony voltará a produzir discos de vinil

O número de discos produzidos no Japão multiplicou por oito e se aproximou de 800 mil unidades em 2016


29/06/2017 às 16:23

A recente febre dos discos de vinil pegou de surpresa a indústria da música, que agora começa a reagir à nova demanda. Um exemplo é o grupo japonês Sony, que anunciou a retomada da produção de LPs até março de 2018, depois de três décadas sem trabalhar com esse formato. A empresa havia descontinuado os famosos bolachões em 1989, com a chegada do CD ao mercado.

Os vinis da Sony serão produzidos no município de Shizuoka, ao sudoeste de Tóquio. As lojas especializadas registram uma nova clientela, mas a oferta ainda é reduzida no Japão, que tem apenas um fabricante ativo atualmente, a Toyokasei. “Muitos jovens compram canções que ouviram por streaming, atraídos pela qualidade do som”, afirmou Michinori Mizuno, diretor da Sony Music.

O número de discos de vinil produzidos no país multiplicou por oito desde 2009 e se aproximou de 800 mil unidades em 2016, de acordo com a Associação da Indústria Fonográfica (RIA). No melhor momento do vinil, na década de 1970, o Japão registrava a produção de quase 200 milhões de discos por ano.

Diante do interesse renovado, a também Panasonic relançou recentemente a marca de toca-discos Technics e os SL-1200, enquanto a Sony comercializa um novo modelo. A consultoria Deloitte calcula que o volume de negócios do vinil no mundo (discos, aparelhos e acessórios) alcançará um bilhão de dólares este ano, em um momento de queda nas vendas de CDs e downloads.


Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.