Quarta-feira, 26 de Fevereiro de 2020

Hugo Possolo: ‘Stand up é um tipo de show e não espetáculo teatral’


26/06/2016 às 13:55

Lídia Ferreira*

Este fim de semana marca a primeira vez nos palcos de Manaus do grupo paulistano Parlapatões, um dos mais tradicionais do País. Com 25 anos de carreira, o grupo já produziu mais de 46 montagens voltadas para a comédia, técnicas circenses e improvisação.

Durante a passagem do elenco pela cidade para a apresentação da comédia "O Burguês Fidalgo", de Molière, no Teatro Amazonas, o fundador, diretor e ator Hugo Possolo, concedeu entrevista ao BEM VIVER  e falou um pouco sobre a onda do “stand up comedy” e os espetáculos de comédia clássica.

BV Blog - Vejo que temos muito mais o  stand up comedy do que espetáculos de comédia clássica em cartaz, estou certa?

Hugo Possolo: “Isso se tornou prático e se tornou uma moda no País e no mundo. Tem ondas, né? Digamos que no final da década de 90 eu surfei muito na onda do palhaço, que eu venho da origem de circo. E teve um momento que essa linguagem explodiu no Rio e em São Paulo. Agora veio a onda do stand up, que  tem a ver com o humor também, mas que é uma produção muito barata: viaja a pessoa sozinha, com a roupa do corpo e basta um microfone. A gente não quis ir por esse caminho.  

BV Blog – Qual a sua avaliação disso?

Hugo Possolo: São linguagem diferentes, que muitos acham para um momento que elas concorrem, mas eu acho que não. Acho que elas acabam sendo complementares, em momentos diferentes. Eu só acho que é muito mais difícil você produzir e  realizar algo com elenco de 12 pessoas, figurino e cenário. E circular é ainda muito mais difícil pela falta de incentivo e patrocínio.

BV Blog – O stand up tem mais incentivo?

Hugo Possolo: Não posso afirmar. Só acho importante o público ter opções de escolha, ter o stand up e ter o espetáculo de comédia. Porque se você só ver stand up, vai achar que humor é só stand up. Ele é humor, improvisação é humor. E o tipo de comédia com dramaturgia clássica faz, com uma linguagem de palhaço e falando de assuntos contemporâneos, é totalmente diferente.   

BV Blog – Como você caracteriza o stand up?

Hugo Possolo: Stand up não é espetáculo, é show. Não acho que é teatro, acho que é um tipo de show.Funciona mais para uma linhagem do entretenimento propriamente dito do que a manifestação teatral em si. Nem sempre são atores. É um cara que produz o próprio texto ou improvisa na hora. Óbvio, como todas as áreas artísticas, tem gente que é boa, tem gente que é mediana e tem gente que é muito ruim. Acontece no teatro estruturado também. O importante é a gente defender a ideia de diversidade. Claro que puxo a sardinha pro meu lado. Quando se fala de recursos públicos, patrocínio, e produção, que esses responsáveis possam pensar em trazer para o público algo que tenha essa riqueza e sofisticação. Também considerem a dificuldade de circular que tem espetáculos como o nosso. Com esse apoio, conseguimos manter os ingressos a preços populares, às vezes mais baratos que dos próprios shows de stand up. Ser artista não é fácil, mas é bem melhor que trabalhar (risos).

 

*Jornalista há 10 anos na área de cultura, repórter do Bem Viver e blogueira do Lidica (@lidialidica) 


Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.