Quarta-feira, 26 de Fevereiro de 2020

Alergias: melhor não tê-las, mas como sabê-las?

Pior que não tem como: a gente só descobre a quê tem alergia ao ter contato com o alérgeno, a substância que vai causar a coceira, ou falta de ar ou coisa mais grave....


08/11/2016 às 00:05

Liege Albuquerque

 

Eu fui uma criança asmática e alérgica a trocentas coisas. Morria de medo de minha filha herdar isso. Não herdou nenhuma das alergias nem a asma, ufa! Eu tinha tanto pavor que, quando grávida, parei de comer o que mais amo na vida porque ouvi dizer que mãe que come muito chocolate tem criança alérgica. Eu não acredito em bruxas, mas que elas existem, existem. Daí cortei o chocolate por nove longos meses (e nos seis em que amamentei, junto com o café).

Acho que deu certo, em termos. Minha filha nasceu e foi morar numa casa com gatos e hoje também temos cachorros. Resultado: nunca teve alergia a pelos, foi fortalecida pelo ambiente. Mas....ela teve uma alergia no primeiro dia que comeu berinjela. Fiquei tão assustada, que nunca mais dei. Um dia desses ela comeu (ela quis provar camponata). Ela não curtiu, e felizmente não teve nenhuma reação alérgica.

A Maria tem alergia a limão. O Miguel a banana. Leila tem alergia a camarão. Tem quem tenha alergia a leite e também a glúten. Dá para passar longe dos alimentos depois de saber da alergia, mas é algo assustador, né? E a remédios? Não tem como previnir na maioria dos casos, isso que é mais assustador. Uma sobrinha tem alergia a paracetamol. Minha filha teve alergia na segunda vez que tomou o famoso Anitta (aquele remedinho que as pessoas dos países do primeiro mundo nem fazem ideia do que é e confundem com a cantora). Ficou toda empolada. Por sorte, há medicamentos alternativos com o mesmo fim.

Muitas vezes a alergia, ou reação adversa ao medicamento, ocorre na segunda vez que a pessoa tomou, ao contrário do que com uma fruta, por exemplo, que já é de primeira. Reação adversa a medicamento, segundo a ANVISA (que regulamenta remédios e alimentos), é qualquer efeito nocivo, não intencional e indesejado de uma droga, observado nas doses terapêuticas prescritas ou não. As reações adversas a medicamentos classificam-se em previsíveis e....ai, meu Deus, as imprevisíveis.

Precisamos ficar bem atentas aos sintomas para agir rápido, ou ligando ao pediatra ou indo ao Pronto-Socorro. Esse texto é bastante esclarecedor http://www.hipolabor.com.br/blog/2015/04/24/hipolabor-alerta-5-sintomas-de-alergia-medicamentosa/

 


Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.