Quarta-feira, 26 de Fevereiro de 2020

Briga de irmãos

As desavenças são inevitáveis, principalmente na fase infantil.


08/02/2017 às 13:11

 

FERNANDA TEIXEIRA

 

Famílias com dois ou mais filhos sabem que nem tudo são flores. Crianças com diferença de idade pequena exigem desenvoltura, sabedoria e muita paciência dos pais para lidar com as brigas entre irmãos.

Matheus (5) e Letícia (2) se amam. Eles se completam quando estão juntos. Mas também têm dias estilo “cão e gato”, em que os ânimos acirram, as diferenças vêm à tona e o embate é inevitável.

Eles sempre brincam juntos. Mesmo sendo a mascote da turma, Letícia parece ignorar sua idade e participa de todas as brincadeiras com os primos e amigos mais velhos de igual para igual.

Em casa, no entanto, o clima amistoso entre Matheus e Letícia vira um campo de batalha. A velha disputa por espaço, posse de brinquedos, atenção dos pais, fala mais alto. As risadas cessam e a choradeira começa.

Ultimamente está difícil acalmar as desavenças. Um reclama do outro, faz acusações, mas... no instante seguinte estão juntos mais uma vez. Depois, brigam de novo e assim vai até o final do dia. Uma queda de braço sem fim. Ele exercendo o papel do mais velho, impondo suas vontades, e ela, a de caçula, com manhas e manias. Haja paciência.

Quem nunca se sentiu perdido no meio desse fogo cruzado? A gente aparta, aconselha, briga, coloca de castigo, mas os conflitos entre irmãos são normais e fazem parte do processo de crescimento e amadurecimento do ser humano. Não dá para banir, as brigas sempre vão existir porque ninguém é igual ao outro. Cada um com suas vontades e opiniões. Aos pais, resta pulso forte para selar a paz dentro de casa.

 


Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.