Sexta-feira, 03 de Abril de 2020

Mãe posso repetir? Só mais um prato, por favor!


28/11/2016 às 18:33

Por Karlla Marinho

Bochechas e joelhos rechonchudos, rostinho redondo, não tem quem resista a “fofurice” de um bebê grandão. Durante a minha infância e pré-adolescência também ouvia que criança gordinha é mais saudável. O problema é quando a gordura em excesso se transforma em problema de saúde.

A obesidade infantil afeta um crescente número de famílias em todo o mundo, mas na grande maioria dos casos a doença pode ser evitada ​​e ainda pode ser revertida. Com o apoio, encorajamento e um trabalho em conjunto com toda a família, você pode ajudar seu filho a alcançar e manter um peso saudável.

De acordo com a Organização Mundial de Saúde, a obesidade é um dos maiores problemas de saúde pública no mundo. A projeção é que, em 2025, cerca de 2,3 bilhões de adultos estejam com sobrepeso; e mais de 700 milhões, obesos. O número de crianças com sobrepeso e obesidade no mundo poderia chegar a 75 milhões.

No Brasil, alguns levantamentos apontam que mais de 50% da população está acima do peso, ou seja, na faixa de sobrepeso e obesidade.

Aqueles quilinhos a mais podem colaborar para o desenvolvimento de problemas de saúde graves, incluindo diabetes, doenças cardíacas e asma. A obesidade infantil também gera problemas emocionais como baixa auto-estima, imagem corporal negativa, e até mesmo depressão.

As minhas duas filhas não estão acima do peso, mas mesmo assim estou sempre atenta para o comportamento delas diante da comida. Em casa me esforço para proporcionar uma alimentação saudável, mas nem sempre tudo perfeito. Não é todos os dias que as frutas e a salada aparecem no prato, mas no geral elas não dão trabalho. Elas comem a quantidade que eu coloco, o suficiente para idade delas, e na maioria das vezes elas não pedem para repetir. O problema acontece durante as festinhas de aniversário. A nova mania delas é aproveitar a comilança de doces como se não houvesse amanhã. Antes, a regra era de no máximo três brigadeiros e o pedaço de bolo, mas a como a variedade é enorme e elas já ficam mais soltas na festa, eu perco o controle e elas não perdem tempo.

Resolvi tratar desse assunto hoje porque a obesidade infantil é uma realidade para muitas famílias e não precisa a criança ficar acima do peso para que os pais enxerguem o problema, existem muitos casos em que a criança está com o peso considerado normal, mas apresenta problemas de saúde tão graves como a de um obeso, isso em decorrência da qualidade do alimento que ela está consumindo diariamente.

Para melhorar a qualidade da alimentação aqui em casa eu, como mãe e responsável por elas, tive de criar novos hábitos.

A primeira mudança precisou de criatividade e disposição. Quando comecei a cozinhar mais em casa, tive como reduzir o consumo de sal e o óleo no preparo dos alimentos.

Reduzir o consumo de sanduiches, cachorro quente e sorvetes ajudou a economizar dinheiro e a perder uns quilinhos extras rssss.

Cozinhando em casa também reduzi o tamanho das porções tanto para as crianças, quanto para mim. Aqui também não entra refrigerante, pois como eu não tomo, as  crianças nunca tiveram costume de consumir. Reduzir o tempo em frente a tv e liberar a criançada para andar de patins e patinete estão servindo como atividade física.

O diagnóstico e o tratamento da obesidade em crianças o mais cedo possível pode reduzir o risco de desenvolvimento de doenças. No entanto, qualquer que seja o peso de seus filhos, eles precisam se sentir amados e ter a consciência de que você quer fazer o melhor para ajudá-los a ter uma vida mais saudável e feliz.

Antes de encerrar, quero compartilhar essas dicas recomendadas por médicos e nutricionistas para que você se previna contra esse mal e tenha uma vida sempre saudável:

Seguir uma alimentação balanceada, rica em frutas, legumes e verduras.

Respeitar os horários das refeições e não beliscar guloseimas entre um intervalo e outro.

Evitar alimentos gordurosos, como doces, frituras e refrigerantes.

Praticar atividades físicas, sejam esportes no colégio ou academia, desde que seja
orientado por um profissional. Caminhar é a melhor pedida, pois qualquer pessoa pode.

Beba bastante água, pelo menos 2 litros por dia. A água é importantíssima
no bom desempenho das funções do organismo. Principalmente para quem pratica atividades físicas, pois mantém o corpo sempre hidratado.

 

Fontes:

http://www.abeso.org.br/atitude-saudavel/mapa-obesidade

http://www.fiocruz.br/biosseguranca/Bis/infantil/obesidade-infantil.htm

Para conferir outros artigos, acesse  maescricri.wordpress.com


Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.