Sexta-feira, 13 de Dezembro de 2019

Números não mentem

Crônicas de Domingo - 24 de Fevereiro de 2019


24/02/2019 às 00:00

O IBGE divulgou na última sexta-feira os dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílio, a PNAD, com os dados de Manaus e do Amazonas. Talvez não tenha sido o assunto da semana; talvez pelo dia da semana em que foi publicado; talvez pelo problema com a fronteira  entre Venezuela e Brasil; ou talvez por termos pouco interesse em estatísticas, especialmente aquelas econômicas. Mas me perdoem: nada foi, pelo menos para nós, amazonenses e manauaras, nascidos ou criados, mais trágico!
A sétima capital mais rica do Brasil, ela mesmo, Manaus, também é a segunda com maior percentual de desempregados entre seus habitantes! Só perde para Macapá! A Região Metropolitana, ou seja, Manaus e as cidades próximas, a “Grande Manaus” é o quarto agrupamento populacional com maior número de desocupados do país, entre as metrópoles. Enquanto isso o Amazonas, com todos os seus 62 municípios, ocupa a sétima posição entre as unidades da federação.
Não bastasse essa antítese - a sétima mais rica e a segunda na proporção do desemprego - a renda média do cidadão de Manaus também vem caindo sistematicamente, na comparação com outros anos! Eu sei que os números dificilmente mentem, mas eles revelam um drama recorrente e para o qual pouco atentamos: raros muito ricos e muitos muito pobres servem de resumo à economia de Manaus. Somos uma fábrica de desigualdade de riquezas, da ausência de democracia distributiva de renda. Não é de ontem, mas vem se agravando!
Há uma Manaus que é um ovo, de tão pequena, entre ricos e remediados medianamente! E uma Manaus de um rio caudaloso de pobres e desempregados. Talvez se saiba disso há muito! Talvez não, com certeza! E me pergunto o que tem sido feito?! Não sei responder! Mas parece que nada! Basta pensar no avanço da cidade: o que aconteceu de tão fundamental com ela nos últimos anos, capaz de modificar sua qualidade de vida e sua paisagem urbana? Respondam aí, pois eu procuro e não encontro nada!
Não por acaso, na semana que passou, a Câmara Municipal de Manaus trouxe à tona o cancelamento em definitivo, para a atual gestão, do projeto do BRT, apontado como a solução viável à qualidade do transporte coletivo, capaz de proporcionar alguma dignidade aos usuários! Demoraram seis anos, ou dez, se considerarmos que ele é de 2009, para descobrir que não se conseguiria financiamento para a execução do sistema! É verdade, andamos muito pobres, inclusive de soluções e de visão de futuro. #Pensa


Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.