Quarta-feira, 30 de Setembro de 2020

A nova jornalista digital

No Brasil, minha atuação está voltada ao jornalismo digital e tenho uma forma de trabalhar diferente, talvez mais humanizada.


Aquela jornalista estressada que passava meio dia se deslocando por diferentes locais de Caracas em busca das pautas e fontes, para só de tarde chegar à redação e escrever a reportagem, mudou. Agora no Brasil, minha atuação está voltada ao jornalismo digital e tenho uma forma de trabalhar diferente, talvez mais humanizada.

Na Venezuela eu era uma profissional que produzia conteúdo para o jornal impresso El Nacional. Precisava ir à campo para investigar, falar com fontes e utilizar as dependências do veículo para escrever e realizar o fechamento da matéria antes das 17h.

Atualmente, como jornalista digital, posso desenvolver a apuração e todos os processos de produção da reportagem no conforto da minha casa. Só preciso ter acesso à Internet e um telefone inteligente.

Só saio de casa quando tenho uma entrevista exclusiva muito importante. A maioria das vezes realizo os trabalhos investigativos através de ferramentas digitais. Por isso, posso cozinhar e almoçar com meus filhos, colocar a roupa na máquina de lavar e cuidar das minhas plantas enquanto eu penso sobre a próxima matéria.

Confesso que às vezes pega saudades de falar olho no olho com as pessoas, perceber seu jeito, ver seu ambiente, sei lá. Também sinto falta de bater um papo e beber um cafezinho com os colegas, mas enfim.

Aprendizado

Foco, estudo e ação. Para manter meu espaço neste meu novo formato de fazer jornalismo, precisei aperfeiçoar as técnicas de edição em WordPress, aprender sobre edição de imagens, manipulação de vídeo e infográficos. Além disso, tive que aprimorar meu texto em português com estratégias para atrair e assegurar leitores, fazendo aulas com @Mestredarevisao, Hariele Quara.

Hoje estou me sentindo uma jornalista mais completa, além de ser capaz de produzir conteúdo relevante, posso adaptá-lo a diferentes plataformas de veiculação. Olha só, descobri nestes quatro meses trabalhando no Portal Agro Floresta Amazônia que tenho jeito para fazer que o conteúdo fique lindo e atrativo para os leitores. Esta semana teve recorde de visitas em uma reportagem sobre uma mulher líder no cooperativismo de transporte e fiquei muito feliz.

Na redação do jornal El Nacional, na Venezuela, trabalhei sempre sob pressão. Por ser um jornal de oposição ao governo do Nicolás Maduro era alvo de ações judiciais e persecuções políticas. Os erros tinham repercussões sérias. Por isso, eram muito rigorosos e exigentes com os jornalistas em relação à seleção das fontes e qualidade da escrita. Os trabalhos tinham que ser de excelência. Agora isso faz parte de meu DNA profissional.

Estou me adaptando a uma gestão mais humanizada ao formato home office a uma nova cultura de trabalho e técnicas, em tempos de vulnerabilidade pela pandemia. Tudo muda!


Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.