Sexta-feira, 27 de Novembro de 2020
Judicialização

Abrasel promete acionar Justiça contra prorrogação de decreto

O Governo do Amazonas prorrogou por mais 30 dias o decreto que proíbe o funcionamento de bares, praias e flutuantes em decorrência de um novo aumento de casos de Covid-19 no Estado



123047747_10224376888874343_6021583796963792736_n__1__17A2DFC5-5B30-490A-9277-6C853DC147F2.jpg Foto: Divulgação
27/10/2020 às 19:21

Fábio Cunha, Presidente da Associação Brasileira de Bares e Restaurantes do Amazonas (Abrasel-AM) falou o A CRÍTICA que a Associação repudia a prorrogação do decreto feito pelo Governo do Estado na manhã desta terça-feira (27).

“Nós da Abrasel, não entendemos o porquê dessa prorrogação. Os bares e restaurantes estavam fechados há 30 dias e houve aumento de casos na capital, se isso ocorreu durante esses dias, não foi culpa nossa, afinal estávamos fechados.” disse o presidente da Abrasel-AM.



O Governo do Amazonas prorrogou por mais 30 dias o decreto que proíbe o funcionamento de bares, praias e flutuantes em decorrência de um novo aumento de casos de Covid-19 no Estado.

Para Fábio Cunha, o decreto não mostrou eficiência, devido ter um aumento no número de casos confirmados do novo coronavírus.

“Cumprimos o que tinha sido determinado, muitos comerciantes, empresários tiveram prejuízos por isso. Quando um restaurante legalizado se fecha, abrem-se outros clandestinos sem segurança alguma.”

Segundo o presidente, a Abrasel-AM vai recorrer da prorrogação do decreto. “Bares e Restaurantes têm o mesmo perigo de contágio do vírus que casas lotéricas, bancos e transporte públicos. Vamos recorrer contra essa medida nos próximos dias," disse.

Decreto

Durante o anúncio do prolongamento da medida, nesta terça-feira (27), o governador Wilson Lima destacou que o aumento dos casos tem a ver principalmente com as campanhas políticas que tiveram início no Amazonas e causam aglomerações.

"Os eventos políticos, convenções, reuniões, caminhadas, fizeram com que os casos aumentassem no interior. Também estamos tendo a antecipação do período chuvoso, o que aumenta a incidência de doenças respiratórias", disse. "Todo esse cenário tem causado uma pressão sobre a nossa rede e tem feito com que algumas unidades cheguem a sua capacidade máxima", revelou. 

Segundo Lima, o Hospital Delphina Aziz, referência no tratamento da doença atingiu, no último fim de semana, quase a totalidade das vagas dos leitos de UTI disponíveis. Ainda conforme o governador, o aumento de casos da doença já foi comunicado ao Governo Federal.

"Estamos mantendo esse diálogo e estamos ampliando em 42 leitos de UTI a capacidade de leitos no estado, além de mais 43 leitos clínicos, resultado dessa parceria. Estamos recebendo amanhã mais 30 respiradores, já havíamos recebido 30 no último domingo, além de monitores que estão vindo de Florianópolis, e uma parte de medicamentos que estão vindo da Bahia", disse, ao destacar que essas medidas visam evitar os problemas que aconteceram durante o pico da doença no estado, entre abril e maio.

*Colaborou Lucas Vasconcelos

News arquipo goes 2c317e75 17b0 4df4 8ca8 d44839069971
Repórter do acritica.com
Jornalista formado pelo Centro Universitário do Norte (Uninorte), natural do município de Coari-AM

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.