Quarta-feira, 21 de Abril de 2021
Eficácia contra P.1

AM comemora eficácia da CoronaVac, mas segue em alerta contra possível 3ª onda

Estudo feito com 67 mil profissionais de saúde de Manaus apontou eficácia da CoronaVac contra a variante P.1, identificada em Manaus



show_140058820_4955332634541870_2762731218300145689_o_FDF9CB91-42AE-415D-B58D-3CFF3A181ABB.jpg Foto: Junio Matos
07/04/2021 às 20:53

No Dia Mundial da Saúde, celebrado nesta quarta-feira (7), o Amazonas comemora o resultado de um estudo preliminar sobre a efetividade da CoronaVac contra a nova variante P.1 da Covid-19. O estudo foi feito com 67.718 profissionais de saúde de Manaus, e mostrou que a vacina está funcionando contra a nova variante no sentido de prevenir a doença sintomática após 14 dias da administração da 1ª dose da vacina, com uma efetividade de 50%. O resultado foi divulgado durante transmissão do Governo do Amazonas. 

O médico infectologista da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), Júlio Croda explica que o estudo sobre a efetividade da vacina demonstra o que está acontecendo na prática. Segundo o médico, como a nova variante disseminou mais rápido no estado e a vacina também foi instituída mais rapidamente na região, Manaus se tornou o local ideal para avaliar se a vacina continua ou não funcionando contra a nova variante.



“Os resultados preliminares são encorajadores porque demonstram que a CoronaVac é eficaz na redução de risco de doença sintomática em um cenário, muito provavelmente, maior que 50% de p1, ou seja, num cenário onde a maioria dessas infecções são por essa nova variante. Esses achados apoiam o uso dessa vacina no Brasil e em outros países com a circulação da mesma variante, a população pode confiar”, disse.

A efetividade de 50% da vacina CoronaVac foi muito similar ao ensaio clínico do Instituto Butantan que mostrou uma eficácia de 50,4%. Outro dado importante foi que mulheres tiveram menos chances de ter a doença, assim como aqueles que já tiveram a infecção.

Para o governador do Amazonas, Wilson Lima, o estudo aponta que o estado está no caminho certo no combate a Covid-19. “Um vírus que nós desconhecemos, mas que a ciência, aos poucos, vai nos dando as luzes, nos orientando, e vai apresentando dados que fazem com que os gestores tomem decisões acertadas. Agora, a gente tem mais do que nunca a certeza de que a arma mais poderosa contra a covid-19 é a vacinação”, destacou.

Segundo o secretário de saúde do Amazonas, Marcellus Campêlo, o estudo traz esperança à população em um cenário de preocupação com as notícias de uma eventual terceira onda. “O resultado dessa pesquisa veio nos dar um alento, porque 50% de efetividade da vacinação e nós que estamos muito a frente na vacinação, isso nos dar um alento na preparação da rede para essa eventual terceira onda”, disse.

Ao parabenizar o esforço dos profissionais da saúde, o secretário também lembrou a atuação da doutora Rosemary Costa Pinto, que faleceu por complicações da Covid-19 durante a gestão da pandemia no estado.

A Secretaria de Saúde do Amazonas apresentou um plano de contingência contra possível terceira onda de covid durante a Audiência Pública realizada nesta quarta-feira (7), na Asssembleia Legislativa (Aleam).

O diretor-presidente da Fundação de Vigilância em Saúde do Amazonas (FVS-AM), Cristiano Fernandes disse que o estudo é um passo a mais da ciência para trazer respostas importantes no enfrentamento da doença.

“No Dia Mundial da Saúde essa é a melhor mensagem que nós trazemos para a população amazonense, brasileira e mundial, no sentido de acreditar, de validar esses dados da efetividade da vacina. São estudos preliminares, mas de extrema importância. Nós damos um salto enorme no ponto de vista científico”, destacou.

De acordo com o consultor da Organização Pan-Americana da Saúde (Opas), Rodrigo Said, um dos pontos relevantes e importantes do estudo é que ele demonstra a efetividade da integração entre pesquisa e serviço, e o resultado dessa integração apresenta valor não só para o Amazonas, mas para todos os países em que circula a nova variante.

“Nós acreditamos que essa integração, principalmente, no cenário de emergência é fundamental para trazer respostas a questões importantes nesse cenário de incertezas e dúvidas que a gente tem ainda sobre a circulação do coronavírus. O resultado ele não só apresenta o valor importante no nosso país, no estado do Amazonas, mas ele traz dados fundamentais para todos os países da região das Américas, e outros países que estão utilizando a vacina da coronavac”, disse Said.


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.