Domingo, 17 de Outubro de 2021
ALERTA

Amazonas chega ao maior número de internados com Covid desde 25 de junho

Boletim da FVS-AM apontou, nesta quarta-feira (9), 521 internados pela doença; destes, 38% ocupam leitos de UTIs



covid_UNIO_MATOS_6600_0006600_A976C913-FEF4-4EE0-959F-9A2F68E70029.JPG (Foto: Junio Matos)
10/12/2020 às 17:14

O Amazonas chegou ao maior número de internados com casos confirmados ou suspeitos de Covid-19 desde o último dia 25 de junho: são 521 internados, contra 520 registrados há quatro meses e meio. Os dados constam no boletim diário da Fundação de Vigilância em Saúde do Amazonas (FVS-AM).

Os números mostram um crescimento significativo da quantidade de internados no Amazonas. No dia 1º de dezembro, por exemplo, eram 461 internados, entre confirmados e suspeitos - um acréscimo de 13% em relação ao início do mês.  Dentre os 521 internados, são 198 em Unidades de Terapia Intensiva (UTIs), o equivalente a 38% do total de internados.



Entre os pacientes em UTIs, 60 deles estão há mais de 20 dias (49 na rede pública e 11 na rede privada). Já entre aqueles que estão em leitos clínicos, são 70 com mais de 20 dias de internação. A taxa de ocupação nas UTIs de Covid-19 no Amazonas é de 78,57%, com os leitos de rede pública com ocupação ligeiramente maior que a rede privada (83,33% e 73,20%, respectivamente). Em leitos clínicos, a ocupação total é de 62,55%, com um cenário diferente: os leitos de rede privada estão mais ocupados que os da rede pública: 69,39% a 62,54%).

O Amazonas tem, conforme os números mais atuais da FVS-AM, 184.268 casos confirmados de coronavírus, com 4.972 óbitos. Em dezembro, na contramão do aumento do número de internações, os números de óbitos no Estado estão em desaceleração. Desde o dia 26 de novembro, quando morreram 13 pessoas no Amazonas, não há nenhum dia com mais de dez falecimentos registrados por conta do coronavírus. No dia 5 de dezembro, foram dez mortes, o máximo registrado em um dia neste mês.

Montanha-Russa

Desde julho, após o pico da pandemia no Estado, o Amazonas passa por uma verdadeira montanha-russa nos números relativos a internações. São altos e baixos constantes, mas que em nenhum momento chegam perto de representar sinais de tranquilidade em relação à pandemia.  O menor número de internados neste segundo semestre foi registrado em 12 de agosto - eram 220, o mais baixo desde o pico das infecções por coronavírus. Destes, 37% estavam na UTI.

O número de 220 internados foi obtido no início de uma janela que durou pouco mais de um mês em que o Amazonas ficou abaixo dos 300 internados - entre 4 de agosto e 9 de setembro. Entre 10 de setembro e 11 de outubro, o Amazonas teve apenas dois dias com 400 ou mais internados  - nos dias 2 e 8 de outubro, com 400 e 404, respectivamente.

A partir de meados de outubro, o Amazonas mostrou uma estabilidade nas internações, mas sempre acima dos 400 pacientes internados. Esse número baixou em apenas 3 dias: 24 e 25 de outubro, com 395 e 397 hospitalizados, e 15 de novembro, com 399. Os  números voltaram a subir no final de novembro e começo de dezembro, passando dos 500 pacientes em hospitais no dia 7, com 515.

News whatsapp image 2019 06 22 at 17.28.20 a187bead 9f3c 42a6 86d0 61eb3f792e97
Jornalista de A CRÍTICA
Jornalista de A CRÍTICA

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.