Sábado, 06 de Junho de 2020
Indígenas pedem ajuda

Comunidade Três Unidos cobra DSEI Manaus por falta de recursos para tratar doentes

Técnicos de enfermagem adoeceram e tentam enfrentar a situação em meio à falta de remédios, EPIs e energia elétrica no polo base de atendimento, que compreende sete aldeias da região indígena que fica a 60 km de Manaus



1740260_AF650F5C-906C-45AE-BEC0-EFA645719CB6.jpeg Foto: Divulgação
20/05/2020 às 08:32

Moradores da comunidade kambeba Três Unidos, situada às margens do rio Cuieiras, a 60 quilômetros de Manaus, estão cobrando medidas do Distrito Sanitário Especial Indígena (DSEI) da capital para conter o contágio pelo novo coronavírus naquela área. Técnicos de enfermagem adoeceram e tentam enfrentar a situação em meio à falta de remédios, equipamentos de proteção individual (EPIs) e energia elétrica no polo base de atendimento, que compreende sete aldeias da região.

Até ontem, 66 casos foram confirmados na comunidade, o que corresponde a mais de 50% da população do local. Os exames foram realizados pela equipe do Governo Federal que chegou à comunidade kambeba Três Unidos no dia 12 de maio e retornou a Manaus nesta semana. A visita ocorreu após uma publicação feita em uma rede social pelo professor Mário dos Santos Cruz, 31, da Escola Indígena Kanata T-Ykua, na qual criticava “o abandono e a negligência dos poderes públicos em relação ao combate ao Covid-19 na referida aldeia e demais povos dessa região”.



O temor da população aumentou após relatos de óbito e contaminações em aldeias vizinhas, como a da Terra Preta do Povo Baré, onde 19 pessoas testaram positivo e uma faleceu com sintomas de Covid-19. “Nas primeiras semanas tiveram o apoio do DSEI. Depois (os profissionais) sumiram”, revelou o professor. Ainda não há registro de morte por Covid-19 na comunidade Três Unidos.

“Muitas aldeias e comunidades vizinhas não-indígenas podem estar nessa mesma situação, mas estão passando despercebidas”, disse Cruz. Ele acrescentou que a falta de assistência está agravando a sensação de medo e vulnerabilidade trazida pela pandemia do novo coronavírus. Para se tratar da doença, os moradores utilizam tratamentos caseiros que acabam se mostrando ineficazes.

O coordenador do DSEI Manaus, Mario Ruy Lacerda, enviou uma carta circular à reportagem do jornal A CRÍTICA com respostas aos questionamentos sobre a situação na comunidade Três Unidos e adjacências. No documento, a secretaria informou que a atenção básica é a etapa inicial do atendimento em saúde e que, além disso, as aldeias contam com serviço de remoção de pacientes para Manaus, onde se concentra todos hospitais de campanha e retaguarda do Estado para tratar pacientes com Covid-19, principalmente, os casos graves.

“As entradas em área pela Equipe Multidisciplinar de Atenção à Saúde Indígena (EMSI) são pré-agendadas, porém, com a chegada da Covid-19 na aldeia Terra Preta do mesmo polo, tivemos a necessidade de concentrar esforços naquela aldeia e nesta ação parte de nossa equipe, por segurança, tiveram que cumprir quarentena”, justificou Lacerda.

O órgão informou que dispõe de técnicos indígenas, médico, psicólogo e enfermeira para prestar atendimento à comunidade, além de plano de contingência e subcomitê que atuam no monitoramento da saúde da população. “Enviamos insumos, medicamentos, testes rápidos e EPIs no dia 13 de maio”, afirmou o coordenador. Em relação à falta de energia elétrica, o coordenador reconheceu que se trata de um “problema típico” do interior do Amazonas e que está instruindo processos para resolver o fornecimento.

Máscaras e RGs para PSR

As Secretarias de Estado de Assistência Social (Seas) e de Justiça, Direitos Humanos e Cidadania (Sejusc) realizarão ação social em benefício de pessoas em situação de rua (PSR), assistidas nas três bases de acolhimento criadas pelo Governo do Amazonas durante a pandemia da Covid-19. A ação ocorrerá hoje, a partir das 10h, na Arena Poliesportiva Amadeu Teixeira, Zona  Centro-Sul de Manaus, com a entrega de máscaras, kits de higiene e emissão de carteira de identidade (RG).

Articulada pela Seas e Sejusc, em parceria com entidades socioassistenciais, a ação integrada terá como ponto de partida a Arena Amadeu Teixeira. A partir das 10h, as secretárias Maricilia Costa (Seas) e Caroline Braz (Sejusc) iniciarão a entrega kits de higiene pessoal (shampoo, creme dental, barbeador, toalha de banho, escova de dentes, sabão de coco e desodorante) para as pessoas acolhidas do local.

A Sejusc também vai participar da atividade na Arena, deslocando uma equipe da secretaria para emissão de carteiras de identidade (RG) para os acolhidos e ainda ofertando máscaras de tecido para evitar o contágio pelo novo coronavírus.

E além da Arena Amadeu Teixeira, a ação integrada também acontecerá nas bases provisórias do Centro de Educação em Tempo Integral (Ceti) Áurea Braga (Compensa) e do Centro de Convivência da Família Miranda Leão (Alvorada).

News d amorim 845c88c9 db97 48fa b585 f1c0cb967022
Repórter de Cidades
Formado em Comunicação Social/Jornalismo pela Universidade Federal do Amazonas (Ufam). Além de A Crítica, já atuou em uma variedade de assessorias de imprensa e jornais, com ênfase na cobertura de Cidades e Cultura.

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.