Segunda-feira, 25 de Maio de 2020
ECONOMIA

Coronavírus: suspensão de eventos preocupa setor de turismo no AM

Roselene Medeiros, presidente da AmazonasTur, disse que o governo já estuda a possibilidade do cancelamento de eventos que ocorreriam no primeiro semestre deste ano



campus-party_00BD51A0-36BC-4FFB-A243-750504299E02.jpg Foto: Arquivo/Agência Brasil
12/03/2020 às 21:09

O cancelamento de eventos em todo mundo tem marcado o avanço do vírus chinês. A presidente da AmazonasTur, Roselene Medeiros, disse que o governo do Estado já estuda a possibilidade do cancelamento de eventos que ocorreriam no primeiro semestre deste ano.

A presidente alerta sobre os prejuízos sofridos pelo turismo mundial desde o mês de fevereiro quando houve cancelamentos de feiras de turismo. Em âmbito local, Roselene pede cautela à população e aos empresários que, segundo ela, estavam esperançosos para o melhoria do turismo na região em 2020.



Sobre o rumores de cancelamento do Festival de Parintins, a presidente da AmazonasTur informou que o assunto ainda não havia sido discutido na esfera governamental. “A gente precisa olhar isso com muita cautela ninguém pode emitir uma opinião dizendo que é um efeito do caos, mas a área de turismo no mundo inteiro é o primeiro segmento que está sendo impactado”, ressaltou a Roselene Medeiros.

Com a baixa no turismo o setor hoteleiro  também se preocupa com a diminuição dos hospedes devido às recomendações do OMS. O presidente da Associação Brasileira da Indústria de Hotéis no Amazonas (ABHI-AM), Roberto Bubol, aponta que houve cancelamentos recentes realizados por turistas estadunidenses e coreanos.

“Nós estamos realizando os cancelamentos. Se tiver que devolver, nós vamos devolver. Se tiver que cancelar, nós vamos cancelar, mas isso tudo vai gerar prejuízos para nós depois”, afirmou.

Campus Party

A pandemia de coronavírus começou a provocar prejuízos no Amazonas. O maior evento de tecnologia mundial a Campus Party Transire Amazônia (CPAmazônia), que ocorreria na próxima semana (18 a 22), em Manaus, foi adiada em virtude do Covid-19

A super estrutura do evento já estava sendo montada na Arena da Amazônia para o maior festival de tecnologia do mundo que aguardava mais de 3 mil participantes de diversas nacionalidades e contaria com 300 horas de palestras na primeira edição realizado no norte do Brasil. 

Campuseiros como Eric Lima, 17, estudante do Instituto Federam da Bahia, organizavam suas malas para o evento quando foram pegos de surpresa, e agora começam a contabilizar os prejuízos com o cancelamento das suas passagens aéreas.

“Eu e mais seis pessoas compramos as passagens com o auxílio do colégio e agora não teremos como comprovar que a gente foi para o evento. Então, eles [escola] vão pedir reembolso desse dinheiro”, lamentou.

O diretor de eventos da MCI Brasil - organizadora da Campus Party - Igor Tobias, disse que a medida foi necessária para colaborar com a união de esforços globais para  contensão da doença.

Igor esclareceu que devido o formato do evento, reconhecido pelo acampamento dos participantes no local, as entidades organizadoras optaram pelo adiamento que tem previsão para o segundo semestre deste ano, mas ainda não possui previsão para o novo calendário.

“Não foi uma situação financeira, muito pelo contrário, porque o evento já era  bem sucedido na perspectiva financeira, mas foi uma decisão tomada no sentido de contribuir em um momento de difícil no qual o país está passando e nós vamos fazer a nossa parte”, enfatiza o diretor.

Voos

A baixa demanda e as restrições impostas pelos governos de vários países devido ao avanço do coronavírus, declarado pandemia pela Organização Mundial da Saúde, levaram a Latam Airlines e suas filiais a anunciarem uma redução de aproximadamente 30% de seus voos internacionais.

Segunda a companhia, em comunicado divulgado nesta quinta-feira, “por enquanto, esta medida será aplicada principalmente para voos da América do Sul à Europa e aos Estados Unidos, entre 1º de abril e 30 de maio”.

“Diante de um cenário complexo e extraordinariamente dinâmico, o Grupo Latam está tomando medidas imediatas e responsáveis para resguardar a sustentabilidade do grupo a longo prazo, protegendo os planos de viagem dos passageiros e buscando cuidar do emprego dos seus 43 mil funcionários”, afirmou Roberto Alvo, atual vice-presidente comercial do Grupo Latam Airlines.

A Latam informou ainda que seguirá mantendo seus rígidos protocolos de segurança e higiene para proteger o bem-estar dos seus passageiros, tripulação e equipes de solo. Ao mesmo tempo, implementou procedimentos especiais de limpeza para suas aeronaves, que possuem um sistema de recirculação que renova o ar nos aviões a cada 3 minutos, com sistemas de filtro de última geração.

Até o momento, o grupo não viu impactada a demanda em seus mercados domésticos e, por isso, definiu não implementar alterações em seus itinerários de voos domésticos por enquanto.

*Com informações da Agência Brasil

News giovanna 9abef9e4 902c 428b a7c8 c97314664fb7
Repórter
Repórter de A CRÍTICA. Sempre em busca de novos aprendizados que somente uma boa história pode trazer.

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.