Terça-feira, 15 de Junho de 2021
Depoimento

Covid-19: Representante do Governo Federal confirma que veio em Manaus difundir o uso de remédios sem eficiência comprovada

Na época que esteve em Manaus, circulou um ofício assinado por Mayara pressionando profissionais a aderirem aos medicamentos do chamado "tratamento precoce"



49998990323_96b02b6359_o_771B4303-28F9-404D-835B-C3D44F4E4A91.jpg Foto: Reprodução / Internet
06/05/2021 às 10:04

Em depoimento ao Ministério Público Federal no Amazonas (MPF), a secretária de Gestão do Trabalho do Ministério da Saúde, Mayara Pinheiro, conhecida como "Capitã Cloroquina" confessou que ela planejou a viagem de um comitiva de médicos a Manaus para difundir o uso de medicamentos sem comprovação científica do 'tratamento precoce' dias antes do colapso no sistema de saúde em janeiro deste ano.

Segundo depoimento dado os procuradores do MPF no Amazonas revelado nesta quinta-feira pelo O GLOBO, Mayara Pinheiro confirmou que o ex-ministro da saúde, general da ativa, Eduardo Pazuello, que alegou contato com oficiais do Exército infectados por covid-19 para não comparecer presencialmente à CPI da Pandemia do Senado, que ele a imcubiu de planejar todo roteiro de visitas às Unidades Básicas de Saúde de Manaus para propagandear o kit covid.

O intuito das visitas era dar orientação sobre as alternativas para o tratamento da doença em Manaus. Na época, circulou um ofício assinado por Mayara pressionando profissionais de saúde da capital amazonense a aderirem aos medicamentos do chamado "tratamento precoce" contra o coronavírus.

Indagada pela procuradoria regional do MPF, Mayara reconheceu o teor do ofício do MS em que cobrava a prescrição pelos médicos das 13 UBSs que a comitiva passou dos medicamentos sem evidência científica para combater a covid-19 que inclui o uso de cloroquina, ivermectina, azitromicina e hidroxicloroquina.

A secretária é alvo de uma ação de improbidade administrativa pelo MPF no Amazonas por conta da ação dos governos estadual e federal durante a crise no sistema de saúde do estado. Além dela, são alvos da ação o ex-ministro da Saúde Eduardo Pazuello.

Os medicamentos do kit covid defendido pelo presidente Bolsonaro (sem partido) já foram apontados em oitiva na CPI pelos ex-ministros da Saúde, Luiz Henrique Mandetta e Nelson Teich como obsessão de Bolsonaro para o enfrentamento da covid-19. Já há pelo menos um requerimento pedindo a convocação de Mayra para testemunhar na CPI.

Mayara visitou Manaus no dia 4 de janeiro. Neste dia, a secretaria concedeu entrevista coletiva onde criticou ao lado do governador Wilson Lima (PSC), o trabalho da imprensa, que segundo ela, presta desinformação. Na mesma coletiva, ela aproveitou para incentivar o uso da cloroquina como tratamento contra a covid-19.

A visita de Mayara se deu dez dias antes de hospitais da cidade registrarem no dia 14 de janeiro mortes de pacientes graves de covid-19 por falta de oxigênio. No mesmo dia,  82 pessoas morreram no estado e 393 pessoas aguardavam uma vaga de UTI ou leito clínico.




Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.