Sábado, 24 de Julho de 2021
Negacionismo

Covid-19: Senadores apontam negacionismo do presidente como um dos motivos para o colapso

Senador Omar destaca a vacina como o principal caminho para solucionar a crise sanitária



20200331204954418790o_17542067-E88A-4132-86CF-488D9C0AE00D.jpg Foto: Reprodução / Internet
12/03/2021 às 13:41

Dois, dos três membros da bancada do Amazonas no Senado, apontam o negacionismo encabeçado pelo presidente Jair Bolsonaro como um dos motivos que levaram ao Brasil ao topo do ranking mundial de mortes diárias por covid-19. Há duas semanas, o país bate recorde sobre recorde no número de vítimas fatais em 24h. Na quarta e quinta-feira foram mais de 2 mil óbitos por dia.

Na reunião da comissão que cuida do acompanhamento das ações da covid-19 no Senado, na quinta, da qual participaram cinco governadores, inclusive o do Amazonas,  Omar voltou a criticar a omissão do ministro da Saúde, Eduardo Pazuello. "O ministro Pazuello nos enganou no Estado do Amazonas, prometeu que (em fevereiro) todas as pessoas acima de 50 anos seriam vacinadas e até hoje estamos esperando essas vacinas. O que o Ministério da Saúde não pode criar uma expectativa e não cumprir", criticou o senador, referindo-se a promessa feita pelo ministro no dia 11 de fevereiro durante audiência no Senado, reiterada dois dias depois em Manaus, durante visita de Pazuello, quando reafirmou que a operação de aceleração da aplicação das vacinas no Amazonas seria organizada pelas Forças Armadas, o que não saiu do papel, até hoje por falta de imunizantes.



Ontem, Omar ressaltou o negacionismo do Governo Bolsonaro como um dos fatores que levaram o país à beira do colapso dos s de saúde pública e privada. Federal como um dos motivos para a atual situação da pandemia no Brasil. “A saída realmente é a vacina que é quase que unanimidade no Brasil. Infelizmente, o negacionismo, a falta de visão nos levaram a esse caos”, disse.

O senador  Eduardo Braga (MDB) ressaltou, em entrevista à Rádio Senado, também na quinta, que a atual situação do país é uma “tragédia anunciada” provocada pelo negacionismo do governo federal diante da pandemia. Disse que o Ministério da Saúde não conseguiu vencer a falta de planejamento para obtenção da vacina a tempo e em massa, causando a morte de milhares de brasileiros.

Apesar de reconhecer que o número absoluto de vacinados no Brasil é alto (mais de 9 milhões), Braga disse que ainda é insuficiente, considerando o número de habitantes, que chega a 211,8 milhões, segundo o IBGE. O parlamentar considerou absurda a taxa de mortos por covid-19, que chegou a 1.705 por dia na média móvel. E disse que, além de permitir transparência e visibilidade das ações, a comissão de monitoramento proporciona a pressão política necessária sobre o governo na busca por soluções efetivas e imediatas.

“O governo precisa ser mais efetivo, mais proativo. Temos dois únicos caminhos para vencer essa pandemia: vacinação e uso da máscara, álcool e distanciamento, evitando aglomerações. Esses são os únicos caminhos para preservamos leitos hospitalares e UTIs, atendermos os doentes e salvarmos vidas. A comissão é o único instrumento de que dispomos no momento para darmos uma resposta ao povo brasileiro”, afirmou Braga.

*com informações do Sim e Não e da Agência Senado

Editor de Política do jornal A Crítica

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.