Sexta-feira, 18 de Junho de 2021
Pesquisa

Crianças produzem anticorpos mais fracos contra o coronavírus, diz estudo

Pesquisadores da Universidade de Columbia, nos EUA, buscaram entender como os anticorpos que combatem a infecção pela Covid-19 diferem conforme a idade da pessoa contaminada



show_1589478795222_B4B372F0-6DAC-434E-9DD4-70E1B7810BE2.jpeg Foto: Divulgação
09/11/2020 às 19:17

Segundo um estudo da Universidade de Columbia, nos Estados Unidos, crianças têm uma resposta imunológica mais fraca contra a covid-19 do que adultos. Os pesquisadores buscaram entender como os anticorpos que combatem a infecção pelo novo coronavírus diferem conforme a idade da pessoa contaminada.

Mas ao contrário do que muitos pensam, os anticorpos mais fracos não significam algo ruim. Na verdade, a resposta exagerada do sistema imunológico tem sido apontada desde o início da pandemia como um dos principais fatores para o agravamento da doença, de acordo com estudos.



Nas crianças, a infecção se mostrou mais fraca do que em adultos, e por isso elas conseguem combater melhor o vírus e até se curarem mais rápido, conforme o resultado da pesquisa.

O estudo foi conduzido no Hospital da Universidade de Columbia e no Hospital Pediátrico Morgan Stanley em Nova York. Foram analisadas 79 pessoas entre março e junho, período que marcou o pior momento da pandemia na cidade, a mais afetada pela covid-19 nos Estados Unidos.

Entre os mais jovens, foram acompanhados pacientes de três a 18 anos de idade. Já os adultos tinham entre 19 e 84 anos e apresentaram diferentes graus de gravidade da doença, desde sintomas leves até pessoas que precisaram ser tratadas na UTI.

Sistema Imunológico das crianças

O que ficou comprovado é que o sistema imunológico das crianças reage de maneira mais eficiente e produz menos anticorpos contra uma proteína que o novo coronavírus usa para infectar células humanas. A capacidade já não é identificada em adultos jovens, mesmo na casa dos 20 anos, se limitando às crianças.

Por outro lado, os pesquisadores lembram no estudo que uma parcela das crianças sofre com o que chamam de "síndrome inflamatória multissistêmica", podendo evoluir para quadros mais graves da doença. O agravamento apresenta semelhanças com a síndrome de Kawasaki, que causa problemas cardiovasculares.

No Amazonas

No estado do Amazonas foram 16.976 casos confirmados da Covid-19 em crianças, sendo que 992 crianças precisaram ser internadas e 41 foram a óbito.

Sobre o estudo, segundo a infectologista Ana Mendes, as crianças podem ter infecção pela covid mais fraca, mas no cenário de elas já possuírem problemas respiratórios que não relacionados ao Sars-Cov2, a situação tende a piorar.

“Desde o início da pandemia, a situação da contaminação da covid em crianças sempre foi um caso em investigação, o que já sabemos é que sim, uma criança pode ser infectada pelo novo coronavírus e se caso ela já tiver um problema respiratório como a Síndrome Respiratória Aguda Grave a situação pode se agravar levando até a óbito.” afirmou a especialista.

Segundo a infectologista, as medidas de prevenção devem ser mais intensificadas principalmente com o público infantil

“Uma criança deve ser bem orientada desde a lavar as mãos, usar a máscara e não estar em aglomerações, isso deve ser bem intensificado com esse público em específico, pois em casa os pais tem o controle, mas na escola por exemplo a criança fica vulnerável caso não tenha uma fiscalização sob ela.

News arquipo goes 2c317e75 17b0 4df4 8ca8 d44839069971
Repórter do acritica.com
Jornalista formado pelo Centro Universitário do Norte (Uninorte), natural do município de Coari-AM

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.