Sábado, 31 de Outubro de 2020
Assistência em Alerta

Desabrigados de Manaus vivem em risco constante à Covid-19

Seas montou bases emergenciais para reduzir perigo de pessoas em situação de rua contraírem a doença



moradores_de_rua_135AA254-9218-4BE9-AF51-6E18E44920CE.JPG Abrigos são as alternativa para moradores de rua evitarem contágio pelo vírus. Foto: Euzivaldo Queiroz - 25/03/2020
27/04/2020 às 06:30

Diante da pandemia do novo coronavírus (Covid-19) que assola o Brasil e o mundo, sabe-se que a população em situação de rua encontra-se numa maior suscetibilidade e exposição a riscos de saúde, além de sociais e pessoais também. Em Manaus, conforme dados do Cadastro Único para Programas Sociais (CadÚnico), há 857 pessoas que vivem nas ruas sem abrigo, portanto, ainda mais vulneráveis à Covid-19.

Diante deste cenário, a Secretaria de Estado de Assistência Social (Seas), juntamente com Organizações da Sociedade Civil (OSCs), é um dos órgãos públicos que possuem um plano de intervenção voltado especialmente para a população em situação de rua como estratégia de prevenção da Covid-19.



“Frente ao cenário de adoecimento pandêmico que coloca em situação de grave risco e de iminente perigo de saúde pública à sociedade e, principalmente, a população em situação de rua, o objetivo do plano de intervenção é ofertar espaços descentralizados de higienização e alimentação, bem como um espaço emergencial de acolhimento provisório para a população em situação de rua”, destacou a titular da Seas, Márcia de Souza Sahdo.

As três bases emergenciais de acolhimento provisório a qual Sahdo se refere ficam localizadas na: Arena Amadeu Teixeira, no bairro Alvorada, Zona Centro-Oeste de Manaus, que, no momento, abriga 110 pessoas; no Centro Educacional de Tempo Integral Áurea Pinheiro Braga, na Compensa, Zona Oeste da capital, que tem oferecido apoio a 120 pessoas; e no Centro de Convivência da Família Miranda Leão, também no Alvorada, que abriga 20 venezuelanos que vivem nas ruas.

“No Centro de Convivência, os imigrantes ficam em quarentena por 15 dias e se não apresentarem sintomas da Covid-19, são encaminhados para o Serviço de Acolhimento Institucional para Indivíduos e Famílias (Saiaf do Coroado)”, explicou a secretária da Seas.

Rotina

Em todos os abrigos emergenciais que atendem à população em situação de rua, coordenados pela Seas, há uma rotina a ser seguida. Às 6h30 a TV é ligada para os abrigados já se organizarem para tomar banho; às 8h30 o café da manhã é servido, e às 10h iniciam as atividades livres. O almoço começa a ser servido às 11h30. Os lanches são servidos às 15h, e às 18h tem início o jantar.

Às quintas-feiras, toalhas e lençóis são recolhidos para que sejam lavados e depois devolvidos. Alguns acolhidos preferem lavar suas próprias roupas e recebem barras de sabão.

Assim que foi implantado o acolhimento emergencial, as pessoas em situação de rua que recorriam ao local não compreendiam a sistemática dos regramentos adotados pelas equipes do abrigo, mas aos poucos, foram compreendendo a necessidade de seguir regras.

Existem alguns casos de pessoas que não conseguem seguir a rotina do abrigo e podem ser desacolhidas por descumprir as regras. Para tanto, assinam um termo expressando sua decisão em serem desacolhidas.

Apoio e orientações

A Seas tem contado com o apoio da Susam, Sejusc, Cetam e de órgãos municipais, que têm sido fundamentais para a oferta de serviços nas bases emergenciais às pessoas em situação de rua. Na última quinta-feira, técnicos da Setemp passaram orientações aos abrigados sobre empregabilidade, geração de renda e emissão de Carteira de Trabalho.

Papa se solidariza por telefone

No último sábado, o papa Francisco telefonou para o arcebispo de Manaus, dom Leonardo Steiner, para prestar solidariedade à capital amazonense diante da pandemia da Covid-19. Manaus é a cidade amazônica que mais sofre com os casos confirmados e óbitos pelo novo coronavírus, segundo monitoramento diário da Covid-19 feito pela Rede Eclesiástica Pan-Amazônica (Repam). 

O sumo pontífice perguntou sobre a situação da capital amazonense ao arcebispo de Manaus e manifestou preocupação com os povos indígenas, tradicionais e pobres, como as pessoas em situação de rua, segundo comunicado da Arquidiocese de Manaus.

“O arcebispo (dom Leonardo Steiner) agradeceu as palavras de conforto e consolo, apresentando ao papa o que a arquidiocese tem feito no cuidado dos irmãos e irmãs que vivem nas nossas ruas, na distribuição de cestas básicas, na atenção às pessoas que sofrem, no atendimento aos migrantes”, diz a nota da Arquidiocese.

“O papa, no final, agradeceu mais uma vez e afirmou que reza por todos nós e que enviava uma bênção especial para a Amazônia. Somos profundamente agradecidos ao papa Francisco pelo seu gesto paterno-eclesial”, afirmou dom Leonardo Steiner em comunicado.

Ação do Nacer atende 43 pessoas

Algumas ações pontuais em prol da população em situação de rua têm sido feitas nesse período pandêmico. O Núcleo de Assistência a Criança e Família em Situação de Risco (Nacer), em parceria com a Secretaria Municipal da Mulher, Assistência Social e Cidadania (Semasc), promoveu, na manhã do último sábado, o atendimento de 43 pessoas, que além de receberem informações como se proteger e evitar a propagação da Covid-19, puderam tomar banho e se alimentar. Na ocasião também foram entregues kits de higiene pessoal.

“Através do Banho de Amor, buscamos resgatar a dignidade humana e a promoção da cidadania por meio de condições básicas de higiene pessoal, bem-estar e saúde à população em situação de rua. Distribuímos café da manhã, roupas, orientação de higiene pessoal e bucal, com aplicação de flúor e corte de cabelo. Sempre contando com a solidariedade daqueles que podem doar roupas e material de higiene pessoal, para que tenhamos condições de oferecer cada fez mais ações à população nos finais de semana”, disse a assistente social Willijane Saboia, da Nacer.

 

De acordo com Saboia, a próxima ação será realizada quando o grupo conseguir, por meio de doações, arrecadar materiais de higiene, como sabonetes, creme dental, aparelho de barbear, escova de dente e shampoo, roupas masculinas e femininas, sapatos e toalhas.

Os interessados em fazer uma doação podem entregar na sede do Núcleo de Assistência a Criança e Família em Situação de Risco (Nacer), na rua 35, 2B, Conjunto Castelo Branco, no bairro Parque Dez de Novembro, na Zona Centro-Sul de Manaus, ou  acessar a página da Nacer nas redes sociais (https://www.facebook.com/NACERCRIANCA).

Acolhimento Municipal

Administrado pela Prefeitura de Manaus, o Centro de Convivência do Idoso do bairro Aparecida, na zona central de Manaus, atende cerca de 225 pessoas em situação de rua todos os dias, com higienização, banho e troca de roupa às segundas, quartas e sextas-feiras, e almoço às 11h30.

Já nas bases emergenciais do Estado, os acolhidos recebem três refeições diárias, higienização, triagem de saúde e atendimento psicossocial, além de encaminhamento para as áreas de saúde, informações sobre o mundo do trabalho e informações sobre inserção no Cadastro Único para recebimento de benefícios governamentais.

News guilherme 1674 2977771b 6b49 41af 859a ef3c3b62eae8
Repórter do caderno Cidades do jornal A Crítica. Jornalista por formação acadêmica. Já foi revisor de texto de A Crítica por quatro anos e atuou como repórter em diversas assessorias de imprensa e publicações independentes. Também é licenciado em Letras (Língua e Literatura Portuguesa) pela Universidade Federal do Amazonas (Ufam).

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.