Sexta-feira, 05 de Junho de 2020
evolução

Em dois meses, AM tem 18.392 infectados e 1,3 mil óbitos pela Covid-19

Relembre como iniciaram os casos do novo coronavírus no Estado



coronav_rus_63D59F7E-98BC-4223-9B5C-A3FFE0E0EDEC.jpeg Foto: Arquivo AC
16/05/2020 às 09:15

Há dois meses, o Amazonas confirmou o primeiro caso do novo coronavírus (Covid-19), também o primeiro da região Norte e da região amazônica. Do primeiro confirmado, 13 de março, à primeira morte, no dia 24, os números de novos casos “explodiram” em Manaus e no interior chegando aos 18.392 infectados e 1,3 mil óbitos, segundo o último boletim da Fundação de Vigilância em Saúde (FVS-AM).

Atualmente, de acordo com o Ministério da Saúde, a taxa de incidência no Amazonas é de 414,5 pacientes a cada 100 mil habitantes - a taxa do Brasil é de 96,6 a cada 100 mil habitantes.



O temor da chegada do novo coronavírus no Estado começou no dia 27 de fevereiro, quando as autoridades de saúde anunciaram que monitoraria, por 14 dias, dois amazonenses que estavam no mesmo voo oriundo da Itália, onde também estava um empresário paulista de 61 anos, até então considerado o “paciente zero” do Brasil. Adultos e membros da mesma família, as duas pessoas não manifestaram sintomas respiratórios suspeitos.

No entanto, no dia 13 de março, foi confirmada a primeira paciente do Estado: uma mulher de 39 anos vinda de Londres (Inglaterra). No dia 11 de março, ela apresentou sintomas e procurou o serviço de saúde no dia seguinte. Confirmada com covid-19, ela se recuperou em casa ao lado da família, que também foi monitorada.

Na ocasião, a infecção importada passava a impressão de ser um caso isolado, pois demorou exatos quatro dias para o Amazonas registrar novos pacientes (dois novos casos no dia 18 de março), na mesma semana em que, por decreto governamental, as aulas da rede pública municipal e estadual foram suspensas por tempo indeterminado e o comércio não essencial teve que fechar as portas.

A partir de então, os boletins da FVS-AM passaram a registrar casos novos todos os dias. Seis dias depois, no dia 24 de março, o Amazonas registrou a primeira morte por covid-19 no Hospital Delphina Aziz, zona Norte da capital – a do empresário Geraldo Savio da Silva, 49, de Parintins. O primeiro paciente do interior foi também a primeira morte por coronavírus registrada na região Norte.

Foi uma questão de dias para que as infecções deixassem de ser locais e passassem a ser comunitárias - quando não é mais possível rastrear a origem da infecção, indicando que o vírus circula entre pessoas que não viajaram ou tiveram contato com quem esteve no exterior.

Bairros da capital

Em Manaus, epicentro da epidemia no Estado, de acordo com o painel de Monitoramento da Covid-19 da FVS-AM, os primeiros casos foram detectados nos bairros da Zona Oeste – em especial, Petrópolis. Nas semanas seguintes, a doença chegou a regiões populosas dos bairros da Zona Norte. Hoje o vírus está circulando em todos os bairros.

Os bairros de Manaus com mais de 200 casos confirmados da Covid-19 são: Lago Azul, Santa Etelvina, Colônia Terra Nova, Tarumã, Ponta Negra, Nova Cidade, Cidade Nova, Flores, Bairro da Paz, Redenção, Planalto, Nova Esperança, Santo Agostinho, Alvorada, Dom Pedro I, Compensa, São Jorge, Chapada, Vila da Prata, Parque Dez, Santo Antônio, São Raimundo, Glória, Nossa Senhora Aparecida, Presidente Vargas, São Geraldo, Nossa Senhora das Graças, Adrianópolis, Centro, Aleixo, São Francisco, Praça 14 de Janeiro, Cachoeirinha, Educandos, Santa Luzia, Colônia Oliveira Machado, Morro da Liberdade, Betânia, Raiz, Petrópolis, Japiim, Coroado, São José Operário, Zumbi dos Palmares, Distrito Industrial I e Mauazinho.

O bairro com o menor índice de infecções é o Distrito Industrial II, Zona Leste de Manaus, com aproximadamente 69 pessoas infectadas.

Interior

O interior do Amazonas está vivendo uma aceleração do número de casos confirmados do novo coronavírus (Covid-19) nesta primeira quinzena de maio, com potencial de ultrapassar o número de casos registrados em Manaus nas próximas semanas. No boletim da FVS-AM divulgado no fim da tarde de ontem, dos 18.392 casos confirmados no Amazonas, 9.713 são de Manaus (52,81%) e 8.679 do interior (47,19%).

A projeção, publicada em dois boletins do Atlas dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável no Amazonas, da Universidade Federal do Amazonas (Ufam), que tem estudado o “comportamento” da pandemia no Estado, aponta ainda que, com o vírus se espalhando rapidamente pelo interior do Amazonas, os órgãos de saúde devem ficar em alerta, já que as cidades ainda dependem da estrutura de saúde pública da capital.

“O número de casos de todos os municípios do interior tem se aproximado dos registros de Manaus. Por isso, estamos alertando para que todos os envolvidos no combate à pandemia se preparem para um cenário em que a demanda por leitos de UTI será cada vez maior no interior”, alertou o coordenador geral do Atlas dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável no Amazonas, Henrique dos Santos Pereira.

Dos 59 municípios do interior atingidos pela pandemia do novo coronavírus, Parintins, distante 369 quilômetros de Manaus, foi a segunda cidade do Amazonas a confirmar um caso de Covid-19, no dia 22 de março, nove dias depois do primeiro caso notificado em Manaus, em 13 de março.

O Atlas registrou os outros cinco primeiros municípios que notificaram casos da doença após a confirmação do primeiro caso de acordo com a quantidade de dias: Santo Antônio do Içá (13 dias), Boca do Acre (13 dias), Manacapuru (14 dias), Anori e Itacoatiara (16 dias cada). Atualmente, Manacapuru, distante 100 quilômetros da capital, tem a população interiorana mais afetada pela pandemia, com 1.357 registros.

Os técnicos da FVS-AM apontam que os registros gerais de Covid-19 no Estado devem avançar nas próximas semanas influenciados pelos números de casos do interior – em parte, impulsionados pela ampliação da oferta de testes rápidos nos municípios, que tem refletido no aumento do registro de casos confirmados nos boletins epidemiológicos da instituição.

“Do ponto de vista epidemiológico, essa onda [de infecções no interior] já é esperada. Ela tem um efeito de borda e, principalmente nos municípios da região metropolitana, essa onda vai se propagando”, ilustrou o assessor da Sala de Situação da FVS-AM, Daniel Barros.

Municípios do AM com casos

Conforme foi divulgado pelo boletim epidemiológico da FVS-AM, os 59 municípios amazonenses com casos confirmados do novo coronavírus são: Manaus (9.713); Manacapuru (1.357); Tefé (663); Parintins (580); Coari (502); Tabatinga (472); Santo Antônio do Içá (365); Itacoatiara (337); Careiro Castanho (309); Iranduba (303); Rio Preto da Eva (299); São Gabriel da Cachoeira (265); São Paulo de Olivença (243); Maués (234); Autazes (232); Presidente Figueiredo (211); Boca do Acre (188); Amaturá (163); Tapauá (154); Benjamin Constant (138); Carauari (134); Anori (114); Tonantins (113); Barcelos (96); Itapiranga (95); Urucará (84); Fonte Boa (82); Barreirinha (71);  Silves (68); Manaquiri (66); Beruri (61); Borba (57); Novo Airão (57); Jutaí (52); Maraã (47); Nova Olinda do Norte (47); Novo Aripuanã (47); Anamã (35); Careiro da Várzea (34); Urucurituba (34); Boa Vista do Ramos (29); Manicoré (27); Nhamundá (27); Eirunepé (25); Lábrea (24); Canutama (22); Apuí (19); São Sebastião do Uatumã (17); e Codajás (16).

News guilherme 1674 2977771b 6b49 41af 859a ef3c3b62eae8
Repórter do caderno Cidades do jornal A Crítica. Jornalista por formação acadêmica. Já foi revisor de texto de A Crítica por quatro anos e atuou como repórter em diversas assessorias de imprensa e publicações independentes. Também é licenciado em Letras (Língua e Literatura Portuguesa) pela Universidade Federal do Amazonas (Ufam).

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.