Sexta-feira, 03 de Abril de 2020
PREVENIR É MELHOR

Estado de calamidade pública irá ser votado por senadores à distância

Na mensagem presidencial enviada ao Congresso, o governo afirmou que não há como evitar o choque recessivo no Brasil no curto prazo como resultado do impacto do surto



49105499032_a513ce74e0_c-1-660x372_EE283981-E1D6-4E1E-8256-774E4194ECB6.jpg Foto: Reprodução/Internet
19/03/2020 às 16:10

O Senado fará sessão remota na sexta-feira para votar o decreto sobre calamidade pública enviado pelo governo federal em função da pandemia do coronavírus, informou a assessoria do senador Angelo Coronel (PSD-BA), nesta quinta-feira.

O projeto será votado pelos senadores após ter sido aprovado na véspera pela Câmara dos Deputados.



O estado de calamidade pública libera o governo do cumprimento da meta fiscal deste ano para o governo central (Tesouro, Previdência e Banco Central), de 124,1 bilhões de reais, abrindo caminho para mais gastos no enfrentamento à doença.

Segundo a Agência Câmara, o texto aprovado pelos deputados foi o projeto de decreto legislativo 88/20, que também criou uma comissão mista composta por seis deputados e seis senadores, com igual número de suplentes, com o objetivo de acompanhar os gastos e as medidas tomadas pelo governo no enfrentamento do coronavírus.

Na mensagem presidencial enviada ao Congresso, o governo afirmou que não há como evitar o choque recessivo no Brasil no curto prazo como resultado do impacto do surto.

Também argumentou que o cumprimento da meta fiscal seria “temerário” e “proibitivo”, dadas as circunstâncias atuais de enorme incerteza, que demandam aumento de gastos públicos e inviabilizam o estabelecimento de parâmetros seguros para projetar os resultados fiscais.


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.