Sexta-feira, 29 de Maio de 2020
DIAGNÓSTICO

FVS-AM nega casos de coronavírus em funcionários do Distrito Industrial

De acordo com o órgão, um caso suspeito foi confirmado como Influenza B, e não Covid-19. Samsung e Moto Honda suspenderem atividades nas fábricas de Manaus



fabrica_samsung-2_9211140A-307D-4E1F-8344-4F959C51620F.jpg
24/03/2020 às 16:30

A Fundação de Vigilância em Saúde do Amazonas (FVS-AM) informou, na tarde desta terça-feira, que não há casos de infecções do novo coronavírus entre funcionários do Polo Industrial de Manaus. No Amazonas, são 47 casos confirmados, sendo 45 em Manaus e dois em Parintins. 

A informação foi repassada um dia após a Samsung suspender suas atividades na fábrica de Manaus, sob a justificativa de reforçar os cuidados com a saúde dos funcionários diante da pandemia. A Samsung suspendeu suas atividades até o dia 29 deste mês. Nesta terça-feira, a Moto Honda também anunciou a paralisação de suas atividades em Manaus, mas por um prazo maior: até, em princípio, 13 de abril.



Quando a Samsung anunciou a suspensão da rotina laboral, circulou a informação entre funcionários da empresa de que um profissional da fábrica havia testado positivo para o novo coronavírus. No entanto, a  FVS-AM informou que não há casos de industriários com Covid-19, a doença provocada pelo novo coronavírus, e que o único caso suspeito advindo da Samsung foi confirmado como Influenza B, uma outra síndrome respiratória. 

Em nota enviada à redação, a Samsung não falou sobre casos suspeitos entre seus trabalhadores, limitando-se a dar detalhes sobre o encaminhamento dado pela empresa em meio à pandemia. “Para a Samsung, a saúde e a segurança de nossos colaboradores são nossa maior prioridade e, como medida de precaução, estamos fechando a fábrica de Manaus de 24 a 29 de março. (...) A Samsung reforça que segue todas as diretrizes de prevenção da Organização Mundial da Saúde (OMS) e do Ministério da Saúde do país e de outras autoridades locais. Também enfatiza que está comprometida em garantir o bem-estar de seus funcionários”, diz a nota. 

Nesta segunda-feira, em ato que decretou estado de calamidade pública no Amazonas, o governador Wilson Lima determinou que as empresas do Polo “adotem as recomendações da autoridade sanitária quanto às medidas de contenção da disseminação do vírus”.  Nesta terça-feira, a presidente da FVS-AM, Rosemary Pinto, reforçou que as empresas foram instadas a fazer planos de contingência respeitando suas realidades. “Tem indústrias que são essenciais, que não podem parar, como as de máscaras, por exemplo. Elas abastecem não somente o Amazonas mas todo o Brasil”, reforçou.

O Polo Industrial de Manaus é o principal motor da economia do Estado. Em 2019, o faturamento das empresas chegou a R$104,62 bilhões, um aumento de 12% em relação ao ano anterior, conforme indicados econômicos da Superintendência da Zona Franca de Manaus (Suframa). 


 

News whatsapp image 2019 06 22 at 17.28.20 a187bead 9f3c 42a6 86d0 61eb3f792e97
Jornalista de A CRÍTICA

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.