Segunda-feira, 19 de Outubro de 2020
EQUIPAMENTOS

Governo estima cerca de 3,7 mil respiradores quebrados no Brasil

Rede de voluntários pretende recuperar o maior número possível de ventiladores pulmonares para ampliar, em pouco tempo, o número de aparelhos disponíveis nas unidades de tratamento intensivo



2020-03-17t201536z_1504482651_rc2wlf9ub005_rtrmadp_3_health-coronavirus-germany_DBBF1219-F36E-4587-B5A1-33FAE1E95EE9.jpg Foto: Kai Pfaffenbach/Reuters
16/04/2020 às 16:06

Segundo estimativa do governo, existem cerca de 3,7 mil ventiladores pulmonares parados por falta de conserto nas redes pública e privada de saúde do Brasil. Isso equivale a aproximadamente um quarto de todos os respiradores existentes no país.

Com a necessidade de recuperar respiradores em meio à pandemia do novo coronavírus (Covid-19), o Ministério da Economia criou um endereço eletrônico para que sejam enviadas informações sobre o paradeiro dos equipamentos.



Os dados podem ser enviados para o e-mail ventiladorespulmonares@mdic.gov.br. O ministério repassará as informações a uma rede de voluntários que consertará os aparelhos que puderem ser reparados.

Batizada de Mais Manutenção de Respiradores, a rede voluntária pretende recuperar o maior número possível de ventiladores pulmonares para ampliar, em pouco tempo, o número de aparelhos disponíveis nas unidades de tratamento intensivo para atender os infectados pela Covid-19.

Profissionais de saúde pública e gestores públicos estaduais e municipais podem enviar as informações sobre o paradeiro dos equipamentos quebrados por e-mail. A rede voluntária recolhe e repara os aparelhos, que serão devolvidos completamente recuperados ou em condições melhores.

Iniciativa privada

A iniciativa privada banca os recursos para as peças e os reparos, que ocorrerão em 34 pontos de manutenção de ventiladores pulmonares em pátios de montadoras de automóveis.

Os ventiladores estão sendo reparados por técnicos e voluntários capacitados pelo Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai) e pela Associação Brasileira dos Engenheiros Clínicos (Abeclin).

Segundo o Ministério da Economia, até 14 de abril, foram recolhidos 1.162 ventiladores respiratórios em todo o Brasil para manutenção, dos quais 164 foram devolvidos ao sistema de saúde. Dependendo do grau de dificuldade, o conserto dura de três dias a duas semanas.

Para os próximos três meses, a estimativa de demanda de ventiladores pulmonares para o tratamento de pacientes com a Covid-19 é de cerca de 15 mil aparelhos.

Além de ajudar a suprir a demanda por respiradores no momento atual, a iniciativa resulta em economia. Um modelo novo pode custar até R$ 60 mil no mercado.


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.