Sexta-feira, 03 de Abril de 2020
DECISÃO

Harley Davidson suspende atividades na fábrica de Manaus até 12 de abril

Empresa é mais uma do polo de duas rodas do Distrito Industrial, que concentra 13 mil trabalhadores, a paralisar os trabalhos por conta da pandemia do coronavírus



HD_09F7250F-5D8E-44D9-8A39-34A7B8C869CE.jpg
25/03/2020 às 18:33

Nesta quarta-feira, 25, a Harley-Davidson do Brasil comunicou a interrupção temporária da produção de motocicletas na fábrica de Manaus, localizada no bairro Tarumã, até o dia 12 de abril. A empresa informou que a medida visa ajudar e dar suporte à saúde dos colaboradores e reforçar as medidas de contenção do coronavírus.  

“A Harley-Davidson do Brasil continuará monitorando a situação de perto e fará ajustes adicionais conforme necessário, de acordo com as recomendações da Organização Mundial da Saúde e das autoridades locais de saúde”.



A Associação Brasileira dos Fabricantes de Motocicletas, Bicicletas e Similares  (Abraciclo), informou também, por meio de nota, que entre suas 14 empresas associadas foram programadas algumas paralisações temporárias nas fábricas instaladas no PIM entre os dias 30 de março e 23 de abril, com variações de períodos entre as empresas.  Segundo a Abraciclo, as paralisações irão contar como férias coletivas, uso de banco de horas e reclusão de colaboradores para que exerçam suas atividades por meio de home office.

Além da necessidade de preservar a segurança dos funcionários e cumprir determinações e orientações das autoridades de saúde do país, a entidade considerou o aumento repentino da formação de estoques decorrente da forte retração das vendas no varejo nos últimos dias e citou a perspectiva de baixa atividade comercial nas próximas semanas devido às ações preventivas de isolamento social.

Além da Harley-Davidson, Moto Honda, Yamaha e BMW já divulgaram que irão suspender, por um período determinado, a produção de motocicletas no PIM. O setor de Duas Rodas emprega diretamente mais de 13 mil trabalhadores na Zona Franca de Manaus com a produção anual de cerca de 1,1 milhão de motocicletas e 900 mil bicicletas. Nesta quarta-feira (25), a Defensoria Pública do Estado manifestou-se favorável à suspensão dos trabalhos em todas as fábricas do Distrito que não produzam bens essenciais. 

A Abraciclo reúne 14 associadas, que atendem a 98% do mercado nacional de motocicletas e mais de 40% de bicicletas, sendo 10 fabricantes de motocicletas (BMW, Honda, Yamaha, Dafra,  Harley-Davidson, Kawasaki, Ducati, JTZ, Suzuki, Triumph) e quatro de bicicletas (Caloi, Houston, OGGI e Sense).

Queda na produção

A produção de motocicletas em fevereiro de 2020 foi de 94,2 mil unidades, segundo a Abraciclo. O volume representa uma queda de 6,8% em relação ao mesmo mês de 2019, quando 101,3 mil unidades saíram das linhas de montagens, e 5,8% comparado a janeiro deste ano, que somou 100,2 mil motos.

De acordo com a associação, o  recuo deve-se ao menor número de dias úteis em fevereiro de 2020, devido ao feriado prolongado de carnaval. Foram 18 dias úteis em fevereiro, dois a menos que o mesmo mês de 2019 e quatro dias a menos na comparação com janeiro do presente ano.

No primeiro bimestre deste ano, a produção de motos somou 194,7 mil unidades com crescimento de 5,1% comparado ao registrado no mesmo período do ano passado, de 185,2 mil unidades. No balanço divulgado no dia 11 de março, a associação manteve a projeção de crescimento para 2020 de 6,1%, com a fabricação de 1,1 milhão de motocicletas.

News larissa 123 1d992ea1 3253 4ef8 b843 c32f62573432
Repórter de A Crítica

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.