Segunda-feira, 25 de Maio de 2020
EMPREGOS

Medida de Bolsonaro permite que trabalhadores fiquem quatro meses sem salários

De acordo com a MP, empregadores podem suspender contratos por até quatro meses por conta da pandemia do Coronavírus. Presidente sustenta que ato preserva empregos



000_1Q24JJ_5A6AAF28-14E3-4814-A6AF-AB9B5156A237.jpg (Foto: AFP)
23/03/2020 às 11:08

O governo do presidente Jair Bolsonaro editou no domingo medida provisória que permite aos empregadores suspenderem os contratos de trabalho de seus funcionários por quatro meses sem pagamento de salário.

A medida também suspende o recolhimento para o Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) entre os meses de março e abril.



De acordo com o texto da medida, os contratos de trabalho poderão ser suspensos por até quatro meses por causa da pandemia do novo coronavírus e, se quiser, o empregador poderá negociar individualmente uma “ajuda compensatória mensal, sem natureza salarial”.

Ainda segundo a MP, que entra em vigor imediatamente, mas precisa ser aprovada pela Câmara dos Deputados e pelo Senado em 120 dias para se tornar lei e não perder a validade, o empregador deverá fornecer ao trabalhador curso de qualificação à distância durante o período de suspensão do contrato.

O texto prevê ainda que, durante a suspensão, o empregador terá de manter os benefícios concedidos voluntariamente ao empregador. 

No Twitter, o presidente defendeu a medida e disse que ela "resguarda ajuda possível para os empregados". 

 


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.