Sexta-feira, 22 de Outubro de 2021
Cuidados na gravidez

Mesmo em um baixo índice, partos prematuros podem estar relacionados à Covid-19

Romana Novais, esposa do DJ ALok, teve complicações no parto após ser infectada pela doença



Sem_t_tulo_B465B80A-5B5C-4E3E-84A9-99E5FB7A05E2.jpg Alok, Romana e a bebê após o susto do parto prematuro. Foto: Reprodução - Instagram
11/12/2020 às 09:20

Apesar de não haver um alto índice de grávidas afetadas com gravidade pela Covid-19, os cuidados precisam ser redobrados nesse período, principalmente no terceiro trimestre de gestação. Na última semana, a esposa do DJ Alok, Romana Novais, usou sua conta no Instagram para fazer um sério relato do viveu durante o parto de sua filha Raika. A bebê nasceu de forma prematura, com apenas 32 semanas de gestação devido às complicações de saúde da mãe, que estava infectada com Covid-19.

De acordo com a infectologista Izabella Safe, um dos sintomas mais sérios da Covid-19 na gravidez são os eventos trombóticos. "Isso pode ocorrer nos vasos da placenta levando ao crescimento fetal anormal e prematuridade. Além disso, essas gestantes podem ter mais risco de formas graves e admissão em UTI. Diabetes, hipertensão, obesidade e idade igual ou acima de 40 anos também são fatores de risco para formas mais graves", explicou.



A médica explica que, de uma forma geral, os sintomas nas gestantes têm sido leves e sem complicações para os bebês.  "Febre e tosse os sintomas mais comuns. A forma grave, ainda que incomum, afetando uma média 3% das pacientes grávidas,  parece ser mais comum que na população geral. Diferentemente da infecção por zika, mal formações fetais não parecem ser o maior problema do novo coronavírus”, assegurou.

Assim como na população geral, o que tem ajudado a reconhecer precocemente um paciente potencialmente grave é o uso do oxímetro, contou a infectologista "É um aparelho que a pessoa pode ter em casa, que mede a saturação de oxigênio. Sempre que estiver constantemente abaixo de 95, esse paciente com COVID-19, grávida ou não, merece ser visto. Tende a ser uma boa alternativa de triagem para as grávidas que não raro, confundem o cansaço da doença com o cansaço do final da gestação".

Cuidados no pré-natal

Segundo a especialista, os cuidados no pré-natal não devem ser deixados de lado nesse momento de pandemia. As visitas pré-natais são importantes para garantir a saúde materna e fetal.  “No entanto, dada a atual pandemia, muitos obstetras estão aumentando o intervalo entre as visitas ou incentivando as visitas de telesaúde. Equipes de ultrassonografistas também se reinventaram com realização do exame em casa. Recomendo que as mulheres conversem com seu obstetra sobre seus cuidados pré-natais e continuem a comparecer às consultas enquanto seu obstetra considerar apropriado" completou Izabella.

Parto prematuro

Romana, estava no último trimestre de gestação e deu detalhes nas suas redes dos primeiros sintomas de que haveria algo errado. "Fui tomar uma vacina que a gestante precisa fazer e tive reação com dor no corpo. Achei que era só por causa da vacina. Além disso, também estava com dor no local da vacina então acreditei mesmo que fosse isso. A dor no corpo começou a ficar mais intensa e me incomodar muito. Alok testou positivo então eu já sabia que também estava com o COVID-19. Na quarta comecei a sentir contração, e a ter um sangramento forte, me senti muito assustada! Alok me levou na clínica, eu conheço meu corpo e preferi seguir minha intuição, pedi para ser avaliada".

Ela revelou ter tido uma complicação rara chamada CIDV (coagulação intravascular disseminada), que é perigosa. “Apresentei um quadro de CIDV, é quando a placenta sangra muito e os médicos precisam atuar com muita rapidez, é um distúrbio na cascata de coagulação. O quadro se estendeu por todo meu corpo e corri risco de vida. Fiquei na UTI e Raika também, ficamos separadas".

Assustada, a médica relata que fez o vídeo para deixar um alerta a outras gestantes. "Não tê-la nos braços, não poder amamentar é realmente muito difícil, mas só tenho a agradecer a Deus pois o pior já passou, completou no vídeo que foi interrompido pelo carinho do marido. Ela voltou para casa no sábado, 5, e agora espera a saída da filha da UTI e o período de isolamento passar para que ela e o marido possam rever o filho mais velho, Ravi, que está com os avós maternos.

 

 


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.