Quarta-feira, 24 de Fevereiro de 2021
CAOS

Mortes por Covid no Amazonas em janeiro já são 66% maiores que em dezembro

Nos dias 31 dias de dezembro, Amazonas teve 414 mortes; em janeiro, já são 688, com recordes de enterros



329BAE21-40FD-4BE6-974E-588ACE7CA9FE_76471EBD-AE6C-4BAE-93B6-691AF8FD5209.jpeg Foto: Alex Pazuello / Semcom
16/01/2021 às 20:02

A lotação dos hospitais públicos  e a falta de oxigênio para atender toda a demanda no Amazonas por conta da explosão dos casos de Covid-19 está refletida no número de mortes que a doença causou nos primeiros 15 dias do ano. 

Conforme os dados oficiais da Fundação de Vigilância em Saúde do Amazonas (FVS-AM), foram 688 óbitos por coronavírus no Amazonas na primeira quinzena de 2021, um número 66% do que as 414 mortes registradas nos 31 dias do mês de dezembro. Em média, em janeiro, são 45,8 mortes diárias, contra 13,3 em dezembro. Neste sábado, foram computados 80 novos óbitos, sendo 50 registrados na sexta-feira (15).
 



Vale ressaltar que o número de mortes confirmadas por Covid-19 dos primeiros quinze dias ainda pode aumentar, visto que casos ocorridos em dias anteriores continuam sob o investigação epidemiológica. 

Se a comparação for feita com o mês de novembro de 2020, quando as aglomerações foram ainda mais rotineiras em todo o Estado por conta das eleições municipais, o número é ainda mais assustador. Em novembro, foram 338 óbitos. Ou seja, o aumento de janeiro em relação ao referido mês é de 103% - mais que o dobro. 

No começo deste ano, o Amazonas viu o caos ser instaurado e a situação do coronavírus ficar sem controle. Tanto é que foram sistemáticos os recordes de sepultamento em Manaus. O maior número foi no dia 15, com 213 sepultamentos na capital, um dia depois daquele que foi considerado o pior dia da história do Amazonas. 

 


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.