Sábado, 31 de Julho de 2021
Aglomeração

Para garantir o peixe de Páscoa, manauaras se arriscam em aglomerações na Feira Manaus Moderna

Muitos deixaram os cuidados, como o uso da máscara, de lado



18af0d1d-e4bf-4dda-bc4d-27d53f111789_4BF4B6AF-0FBC-41F4-8A12-054AB4712898.jpg Foto: Iago Albuquerque
02/04/2021 às 13:25

Nem mesmo o medo de contrair Covid-19 afastou os manauaras das feiras e mercados de Manaus nesta sexta-feira (2). Mantendo a tradição da compra do peixe da “Semana Santa”, os consumidores lotaram a Feira da Manaus Moderna, localizada na rua dos Barés, no Centro de Manaus. Sem se preocupar com aglomerações e em manter o mínimo de distanciamento físico, os consumidores confiaram no uso da máscara e do álcool em gel para não se infectarem pelo Coronavírus e amontoaram em frente às bancas de pescado para garantir o peixe do domingo de Páscoa.

O bombeiro Adriano Oliveira disse que não poderia deixar passar em branco a tradição de comer peixe na semana santa. “Mesmo na pandemia a gente tem que manter a tradição de comer peixe. Medo existe, mas tem que vir aqui, se não a gente não come. Já compramos para hoje e para amanhã. Temos o costume de comer tambaqui nessa época e vamos cumprir, mesmo com a pandemia”, disse o bombeiro.



A aposentada Cleide Marques também está apostando nos protocolos de segurança para não pegar Covid-19. Mesmo com a feira lotada, ela fez questão de ir ao local para escolher o tambaqui mais apetitoso para o almoço de domingo. “Vale a pena vir aqui, sim, porque aqui o peixe está mais em conta do que nas feiras. Eu sei que estamos na pandemia mas não tenho medo porque estando protegido, usando máscara e álcool em gel, a gente não precisa ter medo. Viemos garantir nosso tambaqui para hoje a pra domingo de Páscoa”, disse a aposentada.

Já comerciante Nilson Fernandes preferiu comprar o tucunaré para se deliciar durante as celebrações pascoais. “Já é costume comer tucunaré em casa na Páscoa. Eu sempre compro aqui. Além do preço bom, o peixe também é bom, tem mais tradição”, disse o comerciante. Questionado se não tinha medo de pegar Covid-19 em meio a aglomeração de pessoas, Nilson foi enfático. “A gente tem que se proteger, tem que se prevenir. Usando máscara e álcool em gel não precisa ficar com medo não”, disse o comerciante

Peixe santo

Apesar da crise imposta pela pandemia, os manauaras não economizaram no peixe da semana santa. Entre os pescados tradicionalmente mais procurados estão o tambaqui, que custa entre R$50 a R$120, dependendo do tamanho e do quilo. Uma “enfiada” com 10 jaraquis está saindo por R$ 20 e, a unidade da Matrinxã está sendo cobrada a R$ 20. Quem prefere comer pirarucu na semana santa vai desembolsar uma média de R$ 28 pelo quilo do pescado.


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.