Sexta-feira, 05 de Junho de 2020
RISCO

Passageiros do transporte coletivo temem contágio do coronavírus em Manaus

Usuários e motoristas adotaram uso de máscaras cirúrgicas, além da disponibilização de álcool em gel nos ônibus que circulam pela cidade, principalmente nos inevitáveis horários de pico



zCID0217-004_p02_8AFAF1F0-3F2E-44EF-AD90-04A87DC42C98.jpg Foto: Euzivaldo Queiroz
17/03/2020 às 06:00

Apesar do primeiro caso do novo coronavírus (Covid-19) confirmado no Amazonas, ainda não foram realizadas campanhas de prevenção nos terminais de coletivos, paradas de ônibus e no Terminal Rodoviário de Manaus.

O Ministério da Saúde recomenda que os usuários evitem horários de pico no transporte coletivo, o que é inviável para a maioria daqueles que usam os ônibus para trabalhar ou estudar.



Enquanto isso, passageiros tentam se prevenir por meio de procedimentos básicos, como lavagem frequente das mãos, já amplamente divulgadas nas mídias pelos órgãos de saúde.

Os ônibus com ar-condicionado, onde a circulação de ar é bastante reduzida, são o principal motivo de preocupação da cozinheira Lene Souza, 47. “Não tem como rebater”, opina. “Por enquanto, não conheço ninguém gripado, mas minha imunidade é baixa. Se Manaus entrar nesse cenário, vai ter muita gente desprevenida. Não se trata de uma gripe qualquer”.

A costureira Maria do Socorro Nogueira, 56, se mostrou um pouco cética em relação às informações divulgadas na imprensa, porém ressaltou a importância da precaução. “Cada veículo da mídia divulga uma informação diferente e há exageros nas reportagens, mas é bom se prevenir”, ponderou. “Estou tentando pegar (tocar) o mínimo possível nos locais onde as pessoas costumam encostar a mão”, diz Maria do Socorro.

Já o motorista da empresa Global Green José Jardim, 53, defende uma tática mais radical: interromper a circulação dos veículos na cidade. “Se a mídia diz que 100 pessoas podem transmitir, imagina agora. Muitos passageiros estão pedindo para baixar os vidros, não querem andar no ar-condicionado. O transporte coletivo deve ser repensado”, sentenciou.

Segundo o motorista, os horários de pico situam-se no período das 6h às 8h e das 16h às 18h. “Têm muitos estudantes entre às 11h e 12h30”, acrescentou.

O administrador do grupo Eucatur, Moisés Avelar, afirmou que a empresa ainda não elaborou campanhas de prevenção e esclarecimento sobre o novo voronavírus. “Isso já deveria ter sido implementado. É uma ação mundial. Estamos lidando com o público”, enfatizou.

Por enquanto, as ações limitam-se à lavagem das mãos com álcool em gel.

Segundo o gerente de fiscalização da rodoviária, William Rufino, o movimento no local ontem estava menos intenso do que o habitual; no entanto, ele não atribuiu a diminuição ao temor do contágio pelo coronavírus.

As orientações a passageiros e funcionários da rodoviária foram intensificadas na semana passada. Ontem, apenas alguns funcionários e comerciantes usavam máscaras. “Lavar as mãos e evitar contatos muito próximos são medidas que aplicamos desde sempre”, ressaltou Rufino.

Antes de embarcar no ônibus que o levaria do município de Presidente Figueiredo (a 107 quilômetros de Manaus) à capital, na manhã de ontem, o aposentado José Seixas Borba, 66, resolveu utilizar a máscara pela primeira vez. “Havia muita gente sem máscara e tossindo. Falta informação nas rodoviárias, e o povo está vivendo tranquilamente”, criticou. “Tenho cuidado porque sou idoso, faço parte do grupo de risco. O governo deveria monitorar locais com grande concentração de pessoas”, opina ele.

Na opinião do aposentado, a possibilidade de contaminação entre os migrantes venezuelanos que vivem perto do terminal é motivo de alerta e o local ainda não recebeu a devida atenção por parte dos órgãos competentes. “Aqui é um ponto de ação que foge do controle. As condições na fronteira são arcaicas e complicadas; eles vêm em montes e não são muito afeitos a higiene”, analisa. 

Em nota, a Secretaria Municipal de Saúde (Semsa) informou que vem realizando reuniões e ações de orientação/sensibilização com os diferentes setores da economia, alertando para a necessidade de cuidados preventivos sobre o novo vírus. 

Já foram firmadas parcerias com a Associação de Supermercados, de Feiras e Mercados entre outras entidades. “Estão programadas, para ainda essa semana, reuniões com os empresários do Sistema de Transporte Coletivo de Manaus para alinhar as ações de prevenção, incluindo a higienização dos veículos”, finaliza o comunicado. 

A Fundação de Vigilância em Saúde (FVS-AM) informou que não há orientação específica em relação ao transporte público. Conforme nota enviada pelo órgão, “a orientação é única para que a população reforce as práticas de higiene, como lavar as mãos, e a recomendação do reforço no serviço de limpeza”.

Reforço

A Prefeitura de Manaus informou, ontem à tarde, que adotou estratégias de prevenção ao novo coronavírus no trânsito e transporte urbano e o reforço da higiene dentro dos ônibus. As ações serão intensificadas pelo IMMU.

Seguindo orientações da Vigilância Sanitária Municipal (Visa Manaus), da Secretaria Municipal de Saúde (Semsa), junto às empresas concessionárias de transporte urbano de Manaus, será reforçada a limpeza dos coletivos, bem como feita a distribuição de cartazes que devem ser afixados nos ônibus, com informações sobre as medidas preventivas ao novo coronavírus e visitas às garagens das empresas para orientar como os coletivos devem ser constantemente higienizados.

Entre outras medidas estão a disponibilização de álcool em gel 70% nos coletivos, bem como o hábito de manter as janelas dos veículos sempre abertas, para permitir a circulação de ar.

News d amorim 845c88c9 db97 48fa b585 f1c0cb967022
Repórter de Cidades
Formado em Comunicação Social/Jornalismo pela Universidade Federal do Amazonas (Ufam). Além de A Crítica, já atuou em uma variedade de assessorias de imprensa e jornais, com ênfase na cobertura de Cidades e Cultura.

Tudo sobre o Coronavírus



Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.