Sábado, 27 de Fevereiro de 2021
Usina de oxigênio

Prefeitura de Manaus negocia para ter usina própria de produção de oxigênio

A usina será responsável pelo abastecimento de todas as unidades de saúde municipais



ac_18_50CB7C3B-5688-4648-B774-43D1F314F5ED.jpg Parintins já recebeu usina que veio da Alemanha. Foto: Divulgação
18/01/2021 às 09:08

O prefeito David Almeida (Avante) anunciou que negocia a instalação da primeira usina de oxigênio da Prefeitura de Manaus. A estrutura será montada na Maternidade Moura Tapajóz, localizada no bairro Compensa, zona Oeste da capital, e fornecerá o insumo para todos os serviços de saúde administrados pelo município.

David Almeida informou que a nova usina, em negociação com uma empresa da Alemanha, irá abastecer as Unidades Básicas de Saúde (UBSs), Maternidade Moura Tapajóz, as ambulâncias do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) e os centros de acolhimento de idosos.



“Já estou em tratativas com uma empresa alemã para que, nos próximos dias, possamos implantar na nossa cidade uma usina própria para a produção deste insumo, que é o oxigênio. Eu tenho a certeza de que nos próximos dias já teremos essa condição, para que nós não venhamos a sofrer com relação a isso”, afirmou o prefeito.

Em meio ao novo pico de casos da Covid-19 enfrentado pelo Estado na última semana, David Almeida fez questão de explicar que as unidades de atendimento da Prefeitura de Manaus não sofreram com a falta de oxigênio.

“Todos os serviços da prefeitura, que são oferecidos e que precisam de tratamento com relação ao oxigênio não sofreram descontinuidade alguma. Eu tinha uma informação na última segunda-feira, 11/1, que acabei passando em nível nacional, sobre essa questão do oxigênio. Me antecipei ao problema. Abasteci as minhas unidades básicas, o Samu, a nossa maternidade e o nosso centro de acompanhamento do idoso por 12 dias, que é a nossa capacidade de armazenamento”, explicou David Almeida.

Reabastecimento

Nos últimos dias, o Amazonas tem registrado recorde no consumo de oxigênio. Durante o primeiro pico de Covid-19, no ano passado, foram consumidos aproximadamente 30 mil metros cúbicos de oxigênio por dia em Manaus. Hoje, são necessários 76 mil metros cúbicos para abastecer todas as unidades hospitalares da cidade.

David informou que o Estado deve receber um novo abastecimento do insumo já nesta segunda-feira, 18/1.  “Temos novidade. Amanhã está chegando oxigênio vindo da Venezuela, que é mais próxima daqui, porque tem ligação por estrada. Hoje, já chegou uma balsa com uma boa quantidade”, finalizou.

Reunião

O prefeito David Almeida participou também, na tarde deste domingo, de reunião remota com o presidente da Frente Nacional dos Prefeitos (FND), Jonas Donizete.

Na conversa, foram tratadas medidas que facilitarão a compra de novos medicamentos pela Prefeitura de Manaus.

 

News portal1 841523c7 f273 4620 9850 2a115840b1c3
Jornalismo com credibilidade

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.