Quinta-feira, 04 de Março de 2021
IMBRÓGLIO

Sem vacina, socorristas de Manaus ameaçam parar; SAMU rechaça chance de greve

Paramédico reivindica vacina e respeito a direitos dos profissionais que não estariam sendo cumpridos. No entanto, diretoria do Samu nega qualquer tipo de parada. “Ninguém é inconsequente para falar em paralisação”



show_Covid19-Coronavirus-Paciente-Hospital-Ceilandia-UPA-HRAN-Ambulancia-Enfermeiros-29Jun2020-19_56E55A5B-7C78-4ECE-94EB-CC20380754C4.jpg Foto: Reprodução/Internet
22/01/2021 às 15:32

Após a suspensão do cronograma de vacinação na capital amazonense, com exceção dos servidores do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), socorristas do pronto atendimento ameaçam paralisar atividades por conta de não estarem recebendo imunização. Entretanto, a diretoria do Samu negou qualquer possibilidade de greve dos funcionários.

Segundo o paramédico do Samu, Denison Vilar, a principal pauta de reivindicação é a vacinação em todos os profissionais do órgão.



“Cerca de 800 profissionais de saúde do Samu Manaus que saem de suas casas para salvar vidas, não tiveram prioridade. Até agora nenhum dos da linha de frente foi vacinado”, alegou.

Além disso, o paramédico argumenta que os direitos dos profissionais não estão sendo cumpridos.

“O valor da insalubridade de 7% que corresponde 139 reais pago pela prefeitura, abaixo dos valores praticados pela legislação federal que é de 40% correspondente no mínimo a 416 reais hoje. O auxílio alimentação dos profissionais pago R$ 242 onde PMs/Bombeiros é R$ 600. Defendemos também o reajuste salarial atrasado que está defasado em mais de 30% enquanto os vereadores reajustaram seus salários em dezembro de 2020”, pontuou.

Entretanto, o diretor do Samu, Ruy Abrahim, contrapôs qualquer possibilidade de greve.

“Embora estejamos indignados com a questão da vacina, ninguém do Samu é irresponsável e inconsequente para falar em paralização de um serviço da importância do órgão, principalmente num momento como este, à exceção deste servidor de nome Denison. Um oportunista e aproveitador, que quer holofote para si, às custas da dor e do sofrimento pelos quais TODOS estamos passando. Esse servidor está muito longe de representar os trabalhadores abnegados do Samu. Como disse, é um oportunista politiqueiro que procura tirar proveito para si”, contrariou o diretor.

Abrahim acrescentou ainda que os funcionários do Samu estão trabalhando com todo o equipamento necessário e informou que os motoristas do Samu em Manaus possuem o salário mais alto se comparado a outras regiões.

“Estamos trabalhando com todas as condições possíveis, seja de segurança, seja de materiais e insumos. Não nos falta nenhum EPI. Risco, de certo, existem para todos os profissionais que trabalham na área, mas, como dito, nossas condições de trabalho estavam suficientes e corrertas! Outra, o condutor de ambulância do Samu, tem o maior salário da categoria neste estado. Nenhum outro local, público ou privado, paga os valores que eles recebem no Samu”, detalhou Abrahim.

Por meio de nota, a Secretaria Municipal de Saúde disse "desconhecer qualquer ameaça de paralisação dos servidores do SAMU e negou ter mencionado que os funcionários não receberiam a vacina. 

"A vacinação foi suspensa na última quinta-feira a fim de que fossem feitos os ajustes e alinhamentos solicitados pelos órgãos de controle. Até o momento a vacinação não foi retomada porque a Semsa ainda aguarda o envio da listagem do Governo do Estado. Em nenhum momento foi mencionado que os servidores do SAMU não receberiam a vacina: estão no grupo prioritário porque são da linha de frente dos atendimentos. Portanto, a denúncia feita "por funcionários" é improcedente", disse a nota.

*A matéria foi atualizada às 16h45 para adição de posicionamento oficial da Semsa.

 


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.