Terça-feira, 04 de Agosto de 2020
LEVANTAMENTO

Sintomas da Covid-19 foram sentidos por 8,8% da população do AM em maio

Montante equivale a 356 mil pessoas do Estado com sintomas como perda de cheiro ou sabor de comidas, tosse seca, febre e dificuldade para respirar. Levantamento foi divulgado nesta quarta (24) pelo IBGE



show_WhatsApp_Image_2020-05-03_at_14.38.25_C93AE0DC-47FC-4C8A-8E3A-0363F0DDE0FD.jpeg Foto: Euzivaldo Queiroz
24/06/2020 às 15:15

Uma pesquisa divulgada nesta quarta-feira (24) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) estima que 356 mil pessoas do Amazonas apresentaram sintomas relacionados ao novo coronavírus (Covid-19). O montante equivale a 8,8% da população total do estado com perda de paladar e olfato, tosse seca, dificuldade para respirar, entre outros.

Conforme o IBGE, durante maio, foram perguntados, para todos os moradores do domicílio, se na semana anterior à entrevista, algum deles apresentou: febre; tosse; dor de garganta; dificuldade de respirar; dor de cabeça; dor no peito; náusea; nariz entupido ou escorrendo; fadiga; dor nos olhos; perda de cheiro ou de sabor; e dor muscular.  A pesquisa destaca que os sintomas foram identificados pelos próprios moradores, sem necessariamente um diagnóstico médico.



No mês de maio, a PNAD COVID19 estimou que 764 mil pessoas (ou 18,9% da população), no Amazonas, apresentaram algum dos sintomas pesquisados de síndromes gripais. Em termos do indicador síntese, 356 mil pessoas (ou 8,8% da população) apresentaram sintomas conjugados de síndrome gripal que podiam estar associados à COVID19 (perda de cheiro ou sabor ou febre, tosse e dificuldade de respirar ou febre, tosse e dor no peito), no Estado.

Considerando o total de domicílios (966 mil) do Estado do Amazonas, em 185 mil ou 19,1% dos domicílios havia pelo menos uma pessoa com sintomas conjugados, ou seja, que podiam estar relacionados à COVID19.  

Dentre o total de domicílios do Amazonas, 247 mil tinham pessoa idosa como morador. Deste total de domicílios com pessoa idosa, 40 mil ou 16,2% tinham ao menos um morador com sintomas referenciados.

Com relação às Grande Regiões, a Região Norte foi aquela que apresentou o maior percentual de pessoas com algum sintoma gripal (18,3%, equivalente a 3,3 milhões de pessoas), assim como o maior percentual de pessoas com algum dos sintomas conjugados (7,8% ou 1,4 milhão de pessoas).

O panorama por Unidades da Federação apresentado no mapa mostra que o percentual de pessoas que referiram ter algum dos sintomas de síndromes gripais pesquisadas foi mais alto no Amapá, Pará, Amazonas, Ceará e Maranhão. Esses mesmos Estados também apresentaram os maiores percentuais de pessoas com sintomas conjugados.

Além disso, cerca de 16,7% (ou 127 mil) pessoas que apresentaram algum dos sintomas pesquisados procurou atendimento em estabelecimento de saúde; percentual que foi de 24,4% entre aqueles que apresentaram algum dos sintomas conjugados (ou 87 mil pessoas).

A procura por atendimento poderia ser feita em mais de um estabelecimento, seja na rede pública de acesso a toda população, seja na rede privada. No entanto, a maioria das pessoas (3 milhões e 420 mil ou 84,8%) não possuíam plano de saúde, em maio. As que possuíam plano de saúde no Amazonas eram 614 mil ou 15,2%.

News portal1 841523c7 f273 4620 9850 2a115840b1c3
Jornalismo com credibilidade

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.