Quarta-feira, 22 de Setembro de 2021
Vacinação

Terceira dose da vacina contra Covid-19

A vacina não protege a 100% do vírus mas, ajuda o sistema imunitário a resistir melhor ao vírus e assim evitar ou reduzir o número de internados ou de mortos por covid-19



Sem_titulo_DFD049A1-DBBC-48D3-BC2F-4FB45C988397.jpg Foto: Divulgação
29/07/2021 às 08:49

Desde o início da pandemia, grandes laboratórios começaram a trabalhar para desenvolver uma vacina o mais rápido e eficaz possível, cirandas em tempo recorde devido ao grande investimento feito para o desenvolvimento das vacinas, surgiram várias vacinas de várias empresas de renome no mercado como e outras que são novas, mas todas elas têm algo em comum, o nível de eficácia é alto. 

A vacina não protege a 100% do vírus mas, ajuda o sistema imunitário a resistir melhor ao vírus e assim evitar ou reduzir o número de internados ou de mortos por covid-19, lembrando que as medidas impostas pelos governos como, usar máscaras, distanciamento e evitar aglomerações continuam a ser necessárias até toda a população mundial ser vacinada e assim o vírus ser erradicado, portanto se gosta de sair para se divertir ou apostar com amigos em locais físicos, o correto é ficar em casa e jogar videogames, assistir algum filme ou fazer aposta em sites de apostas online como a 22Bet Portugal, assim evita aglomerações em meia pandemia. 



Muito se tem questionado sobre a eficácia das vacinas devido às várias mutações que têm surgido desde o início da vacinação, sendo que muitos questionam se o efeito das vacinas fica anulado com as variantes, como por exemplo no caso da variante Delta que é a mais preocupante no momento que se originou na india.

Israel é um dos países com mais vacinados no mundo, sendo que apontam que com a variante delta caiu para 64% de 95% de eficácia da vacina Pfizer contra esta variante. 

A pergunta que fica é: será que é necessário uma terceira dose para reforçar o sistema imunitário face a esta variante Delta e até mesmo contra o covid-19 original? 

Por exemplo, a Pfizer diz estar preparada para pedir permissão aos órgãos competentes nos Estados Unidos para que seja aprovada uma terceira dose em relação a sua vacina.

Porém a OMS (Organização Mundial de Saúde) é contra esta ação pelo simples facto de que muitos países não têm acesso fácil a vacinação e que estas poderiam ser doadas para uma primeira e segunda dose para os países em atraso em termos de vacinados. 

Alguns médicos dizem que não há necessidade de uma terceira dose pois afirmam que as duas doses é o suficiente para evitar complicações graves de qualquer variante do covid-19.

De uma forma geral não existe uma resposta concreta se realmente é necessário uma terceira dose, pois tudo depende da duração de imunização oferecido pelas vacinas e futuras variantes. 

O objectivo principal segundo a OMS é vacinar toda a população mundial, tendo que alguns países como Israel e a União Europeia atingido e ultrapassado a faixa dos cinquenta por cento de vacinados. Países da América latina o processo de vacinação tem sido mais lento devido a falta de recursos, tendo números entre dez por cento e 40 por cento. 

Especialistas apontam que com o ritmo atual da distribuição das vacinas pelos países à volta do globo, só em 2023 é que ficará disponível para toda a população mundial as vacinas contra o covid-19. 

A maior preocupação dos especialistas é que, tendo em conta que nem toda a população foi vacinada, isso poderá potencialmente contribuir para novas aparições de variantes. Especialistas acreditam cada vez menos na possibilidade de erradicar o vírus, mas contam em poder controlar, pois afirmam que o vírus será como o vírus da gripe, fará parte do nosso dia a dia.

Portanto alguns países como por exemplo Inglaterra já vêm essa possibilidade de o vírus não poder ser erradicado, que as restrições de circulação foram levantadas, pois segundo o Ministro da Saúde devemos aprender a conviver com o vírus. 

Então resumindo, a prioridade agora não será uma terceira dose mas sim tentar vacinar o máximo de pessoas possíveis, para poder controlar o vírus e suas variantes. Pois a discrepância que existe entre alguns países é enorme. 

No Brasil, por exemplo, cerca de 39% da população foi vacinada ou seja mais de 83 milhões de pessoas foram vacinadas. Então ainda teremos um caminho longo para atingir a imunização total no país. 

Então para já a terceira dose parece que tá fora da mesa mesmo com a Pfizer querer pedir autorização para tal. 

 

News portal1 841523c7 f273 4620 9850 2a115840b1c3
Jornalismo com credibilidade

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.