Sexta-feira, 03 de Abril de 2020
PARALISAÇÃO

'Tudo terá que ser repensado', afirma presidente do Nacional Futebol Clube

Devido a pandemia do Coronavírus, o clube suspendeu todas as atividades no Parque Aquático e no CT Barbosa Filho



WhatsApp_Image_2020-03-25_at_17.27.48_5B186BCA-1437-4316-AF5D-80032CAEACE6.jpeg Foto: Milly Barreto
25/03/2020 às 19:44

Diante do atual cenário de paralisação total dos campeonatos de futebol em todos os âmbitos - regional, nacional e internacional -, os clubes amazonenses se depararam com um inimigo poderoso: a pandemia do Coronavírus (COVID-19) em uma época de ‘vacas magras’ no ludopédio baré.

No caso do Nacional, que possui vaga na disputa pela fase preliminar da Série D - compromisso diante do Ji-Paraná -, o prejuízo pode ser ainda maior no calendário e nos cofres do time. Marcada para iniciar no dia 3 de Maio, a competição pode ser adiada ou até mesmo cancelada a qualquer momento pela Confederação Brasileira de Futebol (CBF).



“Vamos esperar um posicionamento sobre esses campeonatos. Acredito que a tendência é o cancelamento da Série D. Todos os jogadores foram dispensados de suas atividades, o combinado era discutir renovações apenas no término do estadual. Vamos conversar um a um sobre os contratos”, destacou o presidente do Naça, Nazareno Pereira.

Tudo parado

Um dos poucos clubes da capital amazonense que possui Sede Social - juntamente com Sulamérica, São Raimundo e  Rio Negro -, o Leão da Vila Municipal tenta se organizar para evitar maiores estragos ao seu planejamento financeiro, devido a total paralisação das atividades no time principal, escolinha de base, academia e os demais serviços prestados.

“Não podemos fazer programação nenhuma. Tudo terá que ser repensado. Ninguém consegue afirmar nenhuma posição agora. Nada parecido com isso tinha acontecido na minha gestão ou nas anteriores. Fomos pegos de surpresa, mandamos todo mundo pra casa, pensando primeiramente na saúde”, afirmou o mandatário, que por enquanto, prefere aguardar novas notícias sobre o vírus para tomar qualquer atitude em relação aos cofres do clube.

“Todo o planejamento será refeito, eu e toda a diretoria não sabemos o que pode acontecer amanhã. A maioria dos atletas que não são manauaras já estão em suas cidades natais e também. Com tudo paralisado e muitas incertezas, temos que aguardar essa pandemia passar para definir uma nova linha de pensamento”, comentou Nazareno.

Parque fechado

Além das atividades voltadas para o futebol, o Nacional sempre abriu seu parque aquático para o público, garantindo diversão para os amazonenses, realizando também feijoadas, confraternizações e reunindo a galera para se divertir.

Com as recomendações de isolamento para conter o avanço do Coronavírus, essa foi mais uma ‘porta’ que se fechou para suprir as despesas do clube.

“Lá também está tudo fechado, prezamos pela saúde tanto dos nossos frequentadores quanto dos funcionários. Nós estamos esperando pra que notícias positivas surjam logo, o quanto antes tudo normalizar é melhor pro Nacional. É um momento muito delicado e sem precedentes”, concluiu o presidente, sabendo da importância de mudanças no funcionamento do Naça, mas ressaltando que as consequências da pandemia já estão afetando o Leão.

News whatsapp image 2019 06 21 at 16.12.51 7cbfadd4 8d2b 47cf a09e 336b83276e71
Repórter de A CRÍTICA

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.