Sexta-feira, 29 de Maio de 2020
solidariedade

UEA entra na batalha e cria protetor facial 3D para médicos e enfermeiros

O protetor de face, produzido em impressoras 3D, impede a contaminação de profissionais da saúde que atuam na linha de frente na batalha contra o vírus no Amazonas



Capturar_A73729B5-7B02-4B86-85C9-D2DC6AE06E32.JPG
24/03/2020 às 10:07

Estudantes da Universidade Estadual do Amazonas (UEA) entraram na batalha contra a covid-19 em todo o estado. Eles iniciaram em laboratórios da instituição, o desenvolvimento de protetores faciais que aumentam a segurança de profissionais de saúde que atuam na linha de frente contra a doença que parece seguir incontrolável em todos os continentes. Amazonas segue com 32 casos confirmados pela Fundação Vigilância em Saúde.

O equipamento que está sendo desenvolvido voluntariamente pelos estudantes e professores da universidade é um protetor facial de plástico do tipo PET. Entretanto, não se trata do material usado em garrafas de refrigerantes ou derivados. Por se tratar de um material médico, os itens de segurança, a qualidade do material e, até mesmo o trato no manuseio do equipamento, exige o mínimo de instrução técnica. A universidade abriu as portas para desenvolvimento de diversas soluções que auxiliem a atuação dos órgãos de saúde.

O protetor de face, produzido em impressoras 3D, utilizando um plástico especial (polímero), impede a contaminação por agentes de transmissão.

O protótipo foi apresentado ao Reitor da UEA, Cleinaldo Costa, na manhã dessa segunda-feira (24), e foi desenvolvido pelo engenheiro mecânico Aristides Rivera Torres, professor da EST/UEA; e pelos alunos Tânia Ramchandani, discente do curso de Medicina e Ariel Amzalak Eremita, discente do curso de engenharia elétrica.

"Nosso objetivo é incentivar a produção em larga escala desse equipamento e distribuir aos profissionais de saúde que estão trabalhando na linha de frente no combate ao Conoravírus em nosso estado. Estamos tomando todas as medidas para cuidar da nossa comunidade universitária, tanto no aspecto físico, quanto mental. Suspendemos as aulas presenciais e implantamos o teletrabalho para os servidores. Estamos envolvidos ainda na implantação de serviços que poderão ser apoiados pelas autoridades de saúde e comunidade no combate a pandemia", explicou Cleinaldo Costa.

No facebook, o reitor comemorou o feito e acrescentou que o trabalho foi realizado em conjunto com alunos e professores, além de agradecer ao Governo do Amazonas. "Agradecemos ao Governo do Estado pela oportunidade de somar esforço nesta luta, ao Prof. Dr. Aristides Rivera Torres, à interna de Medicina 5. ano Tania Ramchandani e ao aluno de Engenharia Elétrica Ariel Amzalak Eremita, voluntários de primeira hora. União, coragem e fé na Vitória de todos nós!", disse na publicação




Desde a última sexta-feira, 19, professores e estudantes da universidade foram acionados para a identificação de formas de apoio que poderiam ser oferecidas pela instituição.

Plano de contigência

O objetivo da iniciativa, apoiada pelo Grupo de Gestão Responsável pelo Plano de Contingência da UEA (Covid-19), é oferecer a estrutura da Universidade para dar apoio, em espaços da Instituição, a centros de serviços como Call Center e Telessaúde.

"Vale ressaltar que além da produção do protetor de face, na Escola Superior de Tecnologia (EST/UEA), também estamos captando insumos para a produção de máscaras, de álcool em gel, nos laboratórios de química da Instituição e para reparos nos ventiladores, equipamento de respiração artificial utilizado em unidades de terapia intensiva (UTIs ). Todos os esforços para o planejamento da logística, fomento e execução das ações necessárias será extremamente importante no combate a Covid-19. Seguimos firmes na missão de ajudar o governo e a população, potencializando a educação e a ciência em prol do bem comum", finalizou o reitor Cleinaldo Costa.

Ajuda psicológica durante a quarentena

Para auxiliar alunos, colaboradores e comunidade em geral, a UEA criou uma Comissão de Saúde Mental, coordenado pela psicóloga Sônia Lemos , doutora em Saúde Coletiva e professora da instituição, juntamente com o grupo de professores psicólogos que atuam nos cursos da UEA.

"Nossa equipe estará a postos e respondendo aos questionamentos por meio das redes sociais da UEA, como Instagram, Facebook e Twitter. Iremos dar esse apoio para ajudar a tirar dúvidas e levar suporte aos que estão em quarentena, na certeza de que iremos superar este momento e retornar às nossas atividades normais", completou Sônia.

*Com informações da assessoria

Repórter

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.