Domingo, 09 de Maio de 2021
ALERTA p.1

Variante da Covid-19 com origem no Amazonas pode ser mais infecciosa

Alerta é de pesquisadores do Instituto Leônidas & Maria Deane (ILMD/Fiocruz Amazônia) e o Observatório Covid-19 Fiocruz. A nova variante P.1 foi encontrada em 91% das amostras analisadas



covid-19_8CFF60E2-9CC9-4A0D-9A36-311151203392.jpg Foto: Reprodução/Internet
08/02/2021 às 16:27

Os pesquisadores do Instituto Leônidas & Maria Deane (ILMD/Fiocruz Amazônia) e o Observatório Covid-19 Fiocruz informaram que das 35 amostras coletadas de pacientes com Sars-Cov-2 no mês de janeiro, a nova variante P.1 identificada no Amazonas foi encontrada em 91% dessas amostras. A informação foi confirmada pelo infectologista Marcus Lacerda na manhã desta segunda-feira (8) em uma entrevista com a entidade Memória da Eletricidade.

Segundo Lacerda, médico e pesquisador da Fundação de Medicina Tropical do Amazonas (FMT), mesmo que o número de amostras coletadas seja pequeno já é possível acreditar que esta nova variante seja mais infecciosa que as demais encontradas no Brasil.



"Em janeiro, já temos dados do Dr. Felipe Naveca [pesquisador da Fiocruz] que das 35 amostras coletadas, 91% já eram dessa nova cepa. Então o que a gente observa que entre dezembro e janeiro há essa predominância. Ainda que esse predomínio seja em um número de casos pequeno, faz acreditar que esta nova cepa tem uma capacidade de dispersão maior. Porque se ela não se dispersasse tão rápida, não observaríamos uma aumento de frequência de dezembro para janeiro. Só esse crescimento expressivo faz a gente acredita que ela é mais infecciosa", comentou Lacerda.

Por conta do alto teor transmissível, Lacerda alerta que os pesquisadores do Amazonas continuarão realizando sequenciamento genético. Mas, que este procedimento deve ser adotar nos demais estados brasileiros. Tendo em vista as diversas transferências de pacientes com Covid-19 para leitos em outros estados do Brasil.

" O sequenciamento em tempo real é muito importante, pois há vários pacientes com a Sars-Cov-2 sendo transferidos para outros Estados. Pessoas que mesmo não estando com estado grave, estão viajando para outros Estados. Deve ser feito um trabalho de sequenciamento em outros Estados para acompanhar se essa nova variante será encontrada em outros lugares do Brasil. Essa é a grande preocupação que nós temos em relação a cepa", alertou o infectologista.

Mutação em animais

Questionado se o Sars-Cov-2 é capaz de sofre mutações em animais, o pesquisador Marcus Lacerda informou que ainda não há estudos que comprovem isso. Segundo Lacerda, o humano é o principal hospedeiro.

"As mutações do Sars-Cov-2 estão acontecendo em seres humanos. Não temos informações que há mutações em outros hospedeiros. No Brasil, há estudos que estão tentando compreender nos animais locais (morcegos e primatas não-humanos) são portadores do vírus. Isso aumentaria ainda mais as mutações. Mas o que podemos afirmar é que o próprio ser-humano está fazendo isso", esclareceu Lacerda.

Vacinação em massa

O pesquisador da FMT, Marcus Lacerda, ressaltou que a intensificação do plano de imunização no Brasil e, principalmente, em Manaus, é a melhor forma para conter a proliferação desta nova variante.

"Toda a nossa energia deve ser voltada para vacinação em massa. Os fabricantes estão identificando se estão conseguindo bloquear as novas variantes. A nova variante sul-africana apresentou certa resistência em certos imunizantes. Isso é preocupante. A grande preocupação não é saber se é mais transmissível ou mais grave, pois isso não mudar o que já estamos fazendo. O plano de vacinação em massa é mais importante", concluiu Lacerda.


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.