Quarta-feira, 08 de Julho de 2020
PLANOS

Wilson Lima confirma reabertura do comércio para 1º de junho; calendário sai à noite

Governador afirmou, na manhã desta quarta-feira, que caso haja uma nova crescente nos casos e mortes, Governo decretará novamente medidas mais restritivas de circulação



WhatsApp_Image_2020-05-27_at_15.18.06_3D79175C-4958-422B-9B47-907B0C4190F1.jpeg (Foto: Diego Peres / Secom)
27/05/2020 às 15:19

O governador Wilson Lima (PSC) declarou nesta quarta-feira (27) que a partir do 1º de junho será feita a reabertura gradual do comércio e que a medida levará em conta estudos sobre o risco de contaminação pelo novo coronavírus. De acordo com o governador, pesquisa apontou que em torno de 15% da população já foi infectada pelo vírus.  O cronograma de atividades comerciais que serão retomadas em Manaus a partir da próxima segunda-feira será divulgado ainda hoje pelo governo, a partir das 18h.

“A partir do 1º de junho vamos fazer a reabertura gradual do comércio. Nesta tarde vamos apresentar esse planejamento de que atividades devem retomar e as regras para que efetivamente isso aconteça. Tem algo que é importante destacar é que toda essa reabertura e ações ficam condicionadas a evolução dos casos”, explicou Wilson Lima durante coletiva de imprensa de anúncio de obras no Hospital  e Pronto-Socorro João Lúcio. 



A Secretaria de Estado de Comunicação (Secom) divulgou comunicado à imprensa de que o anúncio do plano de reabertura gradual de serviços não essenciais no estado será realizado às 18h desta quarta-feira. Na ocasião, o governador deve divulgar o calendário das atividades econômicas que serão retomadas na capital a partir da próxima segunda-feira e as regras para funcionamento desses estabelecimentos.

Lima enfatizou que na ocorrência de um segundo pico de novos casos de covid-19 e de óbitos pela doença o governo pretende fechar novamente o comércio em Manaus. No interior do estado, segundo o governador, o retorno fica a critéio de cada prefeitura. “Se nós tivermos uma subida nos casos de coronavírus não temos a menor dúvida da decisão que vamos tomar. É retroagir e restabelecer todas as medidas restritivas que já haviam sido determinadas pelo governo do estado”, afirmou.

Na coletiva, o governador frisou a redução no número de óbitos pela doença no estado.”Temos acompanhado os casos confirmados e os enterros. Houve dia em que foram enterradas 167 pessoas. Um número, de fato, muito expressivo e impressionante. No últimos 15 dias percebemos uma queda significativa em que a média está se mantendo de 60, 50 enterros e tem variado nos últimos dias. Todas as decisões que estamos tomando é de forma muito responsável”, disse.

Desde o dia 21 de março, diversos decretos do governo do estado determinaram medidas restritivas que incluem o fechamento de estabelecimentos comerciais e de serviços não essenciais, a suspensão do atendimento ao público em geral de todos os bares, restaurantes e lanchonetes, funcionando apenas para entrega ou como ponte de coleta, e o transporte intermunicipal e interestadual terrestre. Os decretos foram prorrogados sucessivas vezes e a suspensão do comércio e serviços não essenciais expira no próximo domingo, 31 de maio.

Nesta quarta-feira, o deputado estadual e líder da maioria Dr. Gomes (PSC) afirmou, durante sessão plenária virtual, que o governo vai incluir igrejas na 1º fase do cronograma de reabertura dos estabelecimentos considerados essenciais. Segundo o parlamentar, os templos precisarão seguir normas de segurança sanitária estabelecidas pelo Ministério da Saúde, obedecer o distanciamento entre pessoas e a limitação de público de 30% da capacidade do local. 

O deputado estadual e presidente da Frente Parlamentar Cristã da Assembleia Legislativa do Amazonas, João Luiz (Republicanos) disse, que mesmo com a flexibilização aos custos presenciais, as igrejas deverão manter a realização de cultos online para atender os fiéis que pertencem ao grupo de risco. É de autoria do parlamentar o projeto de lei que incluiu igrejas e templos como atividades essenciais no estado, em período de calamidade pública. O projeto aguarda sanção do governador Wilson Lima.

O Amazonas soma 31,9 mil casos confirmados de covid-19, segundo boletim epidemiológico divulgado pela Fundação de Vigilância em Saúde do Amazonas, ontem. Na terça-feira, foram registradas 1,6 mil novos casos. O boletim revelou ainda a confirmação por exame laboratorial de 71 óbitos pela doença, sendo 23 ocorridos nas últimas 24 horas elevando para 1,8 mil o total de mortes no estado.

News larissa 123 1d992ea1 3253 4ef8 b843 c32f62573432
Repórter de A Crítica

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.