Publicidade
Cotidiano
TRABALHO

2ª etapa de obra na Estrada de Novo Airão inicia na próxima semana, diz Seinfra

A reconstrução do trecho do km 22 da estrada está sendo realizada com base em estudos técnicos realizados pela Seinfra, Corpo de Bombeiros e Defesa Civil de Novo Airão 18/01/2019 às 18:33
Show obra 357be17b 8b1a 4c41 bb8a c321149abb5b
Foto: Divulgação/Seinfra
acritica.com Manaus (AM)

Na próxima semana, inicia a segunda fase dos trabalhos no quilômetro 22 da AM-352, a estrada do município de Novo Airão (a 170 quilômetros de Manaus), que sofreu um problema de erosão no último dia 10 de janeiro. A informação foi divulgada pela Secretaria de Estado de Infraestrutura (Seinfra).

De acordo com o titular da Seinfra, Carlos Henrique Lima, a substituição de equipamentos vai dar mais segurança e conferir durabilidade ao serviço de recuperação realizado no trecho prejudicado.

“Diferentemente da tubulação que foi encontrada no local, as aduelas vão ser suficientes para trazer estabilidade para a pista por muitos anos”, afirmou Lima, acrescentando que as aduelas começaram a ser deslocadas para a estrada de Novo Airão, nesta sexta-feira (18).

Ainda segundo o titular, a reconstrução da estrada está sendo realizada com base em estudos técnicos realizados pela Seinfra, Corpo de Bombeiros e Defesa Civil de Novo Airão. Assim que o problema foi detectado, a Seinfra agiu com medidas imediatas para solucionar o problema do rompimento que chegou a obstruir totalmente a via. Engenheiros e técnicos foram até o trecho prejudicado desde as primeiras horas do dia 11 de janeiro para acelerar a normalidade do fluxo de veículos e viabilizar a reconstrução da estrada.

Na primeira fase de trabalho, um plano emergencial foi estabelecido e o fluxo de veículos foi retomado na via, ainda no dia 11 de janeiro, em menos de 24 horas do rompimento do trecho.

Rompimento

O quilômetro 22 da Estrada de Novo Airão (AM-352) rompeu, na noite do dia 10 de janeiro, devido ao grande volume de água das chuvas no igarapé que obstruiu o tubo ármico, de 2,5 metros de diâmetro, por causa da vegetação. Sem espaço para escoar, a água penetrou pelas laterais do bueiro rompendo o corpo do aterro.

Publicidade
Publicidade