Publicidade
Cotidiano
Saúde

Conheça histórias sobre a importância da doação de leite

Às vésperas do Dia Mundial da Amamentação (1º de agosto) conheça o trabalho de doação e coleta de leite humano 31/07/2016 às 05:00
Show leite
Carole Cordeiro Baraúna com os gêmeos Nicole e Nícolas Baraúna: eles tomaram leite do banco nos primeiros dias (Foto: Euzivaldo Queiroz)
Lucy Rodrigues Manaus (AM)

Pequenos potes, armazenados com todo cuidado sob refrigeração, guardam uma fórmula perfeita, rica em substâncias essenciais à vida, capazes de elevar a imunidade e ajudar principalmente na recuperação de bebês prematuros e enfermos. Estamos falando do leite materno recebido diariamente nos 16 postos de coleta vinculados aos três Bancos de Leite Humano da capital amazonense. No Dia Mundial da Amamentação, celebrado em 1º de agosto, a reportagem mostra a importância do trabalho que fez do Brasil referência mundial em aleitamento materno.

Doação

Há um ano, quando teve seu segundo filho Henrique, na 30ª semanas de gestação, Elisandra Oliveira Batista, 37, não imaginava o que vinha pela frente. Prematuro de baixo peso e com problemas de obstrução intestinal, o pequeno precisou ficar internado na UTI neonatal do Hospital Maternidade Unimed por 72 dias, entre idas e vindas. Lá ela conheceu o trabalho das profissionais do posto de coleta de leite humano. O apoio, segundo Batista, foi fundamental para a recuperação dela e do filho.

“Foi bem complicado, mas tive muita ajuda das meninas da Unimed. Elas me ensinaram a fazer as massagens no seio e a ordenhar para continuar estimulando a produção. Extraía o leite tanto em casa para doar ao banco quanto lá no posto da UTI, para oferecer ao Henrique. Isso ajudou muito para que eu continuasse produzindo, pois sempre que ele era liberado para mamar eu tinha que ter leite. O que ele não podia tomar eu doava. Ganhei até certificado de doadora”, lembra.

Graças a atitudes como a de Elisandra, é que outros bebês prematuros hospitalizados, de mães que têm baixa produção de leite, ou que ainda não conseguem sugar o seio materno, podem ter à disposição um alimento completo.

“Os prematuros extremos têm baixa imunidade e tanto o leite materno [da própria mãe] quanto o humano [da doação] têm maior concentração de imunoglobulinas, ou seja, substâncias que aumentam a imunidade; além de quantidade ideal de nutrientes”, explica a diretora e responsável técnica do Posto de Coleta do Hospital Maternidade Unimed, Dra. Regina Sodré Fernandes.

Beneficiados

O leite humano, fruto da doação e processamento pelo banco de leite, foi fundamental para ajudar na recuperação da prematura extrema Maria Eduarda, filha de Thaislene Eloi Gomes, e também dos gêmeos Nicole e Nícolas Baraúna, filhos de Carole Cordeiro Baraúna. Nascidos com 30 semanas de gestação, eles estão há um mês na UTI Neonatal da Materniade e agora já começam a sugar o seio da mãe.

“Logo nos primeiros dias, eles receberam o leite do banco. Nós priorizamos o alimento para os prematuros, que precisam desse suporte para aumentar a imunidade e ter uma recuperação melhor. Também damos todo o apoio e orientação às mãezinhas a continuar estimulando a produção para, assim que puderem, amamentarem”, explica a coordenadora da UTI Neonatal da Unimed, a pediatra neonatologista Lorena Hollanda.

Campanha

Inaugurado em 2015, o posto de coleta da Maternidade Unimed é vinculado ao Banco de Leite Estadual Fesinha Anzoategui, que fica no Instituto Dona Lindú, dentro do Hospital 28 de Agosto. O leite coletado na maternidade é enviado ao banco estadual para a pasteurização e retorna para ser oferecido aos bebês em tratamento.

“A idealização desse projeto iniciou-se há mais de 12 anos, quando criamos o cantinho do leite para as mães realizarem a ordenha e oferecerem o leite aos seus bebês. Ficamos felizes com o avanço alcançado durante esses últimos anos, com a parceria do banco de leite do Estado”, completa Dra. Regina.

Por conta do mês do aleitamento materno, a unidade inicia campanha para captar doadoras. Lactantes que têm produção excedente podem se cadastrar que a equipe vai em casa levar os potes e coletar as doações. Mais informações: 3212-2000.

Confira a lista com os endereços e telefones dos bancos de leite e demais postos de coleta do Amazonas.

Agosto Dourado

O mês de Agosto é conhecido como Mês Dourado, pois é o mês que simboliza a luta pelo incentivo à amamentação, recebe o nome de dourado, pela cor estar relacionada ao padrão ouro de qualidade. Há vinte anos entre os dias 1º e 7 de Agosto acontecem ações no mundo todo em prol da Amamentação. São dias de intensas atividades que buscam informar para empoderar e promover a amamentação exclusiva até o sexto mês de vida, e complementando até os dois anos ou mais.

Mamaço no Largo

Com o tema “Aleitamento Materno: presente saudável, futuro sustentável”, a Secretaria Municipal de Saúde (Semsa) promove entre os dias 1º e 7 de agosto as atividades locais da Semana Mundial de Aleitamento Materno 2016. Entre elas, uma reunião de mães e bebês para a já tradicional ‘Hora do Mamaço', marcada para o próximo dia  6 de agosto, às 16h, no Largo São Sebastião, Centro de Manaus.

Publicidade
Publicidade