Publicidade
Cotidiano
Notícias

Abdala Fraxe é denunciado no Conselho de Ética da ALE-AM

Deputada Alessandra Campêlo pediu a cassação do colega deputado após suposto xingamento contra ela 04/11/2015 às 20:03
Show 1
Deputados subiram na tribuna hoje (4) para falar sobre caso
acritica.com Manaus (AM)

Os ânimos continuam acirrados entre os deputados estaduais Abdala Fraxe (PTN) e Alessandra Campêlo (PCdoB). Na sessão de terça-feira (3), a deputada teria sido xingada pelo colega enquanto discursava na tribuna. Na tarde desta quarta-feira (5). Campêlo confirmou que protocolizou pedido de cassação de Fraxe por quebra de decoro parlamentar.

O imbróglio começou quando, durante o discurso de Alessandra sobre uma questão envolvendo policiais civis na Assembleia Legislativa do Amazonas (ALE-AM), Fraxe teria proferido um xingamento contra a comunista que acabou sendo captado pelos microfones, ainda que de forma não muito clara. Mais tarde, a equipe de Campêlo analisou o áudio e constatou a suposta agressão verbal.

A deputada divulgou uma nota e publicou o vídeo da suposta agressão nas redes sociais. “Não tenho medo de cara feia nem de palavrão. Cada um dá o que tem de melhor (...). Sinto muito a falta de respeito com a minha pessoa, com o povo e com a sede do Poder Legislativo”, diz Alessandra na nota.

O vídeo com o suposto xingamento de Fraxe a Alessandra foi publicado na tarde de terça-feira nas redes sociais.

Nesta quarta-feira, Alessandra protocolizou o pedido de cassação de Abdala Fraxe junto à Comissão de Ética da Casa ALE-AM. O presidente da comissão, deputado Vicente Lopes (PMDB) recepcionou o documento que será analisado para posterior deliberação.

Abdala se defende

O deputado estadual Abdala Fraxe classificou o ocorrido como um mal entendido envolvendo ele e a deputada Alessandra Campêlo. O deputado explicou, por meio de sua assessoria de comunicação, que em momento algum proferiu qualquer xingamento contra a parlamentar. Ele admite que utilizou palavras ásperas, porém, não teriam sido dirigidas à colega.

Abdala Fraxe explicou ao presidente da ALE-AM, Josué Neto (PSD), que no momento do discurso da deputada comunista, ele estava em uma ligação de mais de 20 minutos com a operadora de seus cartões de crédito, que teriam sido clonados.

“Eles estavam ligando para mim comunicando que estavam fazendo compras em São Paulo e Rio de Janeiro, comprando passagens e que, por isso, eles estavam cancelados. Essa conversa já estava ficando longa, passando de setor em setor, até que a ligação caiu e eu, já aborrecido com tudo aquilo, ato contínuo, infelizmente proferi aquele comentário que não deveria, mas em função daquilo que estava acontecendo comigo”, explicou o parlamentar, descartando qualquer tentativa de ofender a colega de parlamento. Fraxe não comentou sobre o pedido de cassação apresentado ao Conselho de Ética.

Publicidade
Publicidade