Publicidade
Cotidiano
Notícias

Acidente em ramal da AM-070 deixa agricultor morto às vésperas de completar 1 mês de casado

A colisão frontal entre uma picape S-10 e um caminhão tipo munck, na Estrada de Paricatuba, resultou na morte do motorista do veículo menor. A mãe da vítima fatal, que estava sendo levada ao hospital, teve ferimentos e precisou ser encaminhada à capital. O caminhoeiro fugiu do local 01/03/2015 às 17:53
Show 1
Acidente ocorreu na manhã desta quarta-feira (10)
Victor Affonso Manaus (AM)

Um acidente entre uma picape média e um caminhão tipo munck no ramal Estrada de Paricatuba, no quilômetro (km) 22 da AM-070 (rodovia estadual que liga Manaus aos municípios de Iranduba e Manacapuru, na Região Metropolitana), deixou uma vítima fatal e uma pessoa ferida no fim da manhã desta quarta-feira (10). O agricultor Gleidson dos Santos Aparício, de 35 anos, prestes a completar um mês de casado, morreu antes da chegada do Corpo de Bombeiros e do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu).

O agricultor, que mora no ramal, estava buscando sua mãe, Raimunda dos Santos Aparício, residente da Vila de Paricatuba, para fazer exames médicos. Antes de chegar na AM-070, o veículo que conduzia, uma Chevrolet S-10 cinza, de placas OAK-2666, chocou-se de frente com o caminhão Facchini de placas JXO-3063, que vinha no sentido oposto. O motorista do munck, identificado por testemunhas apenas como "Lucas", fugiu do local. Residentes da área revelaram que ele mora na comunidade Fé em Deus, próximo a Paricatuba, e faz transporte regular de tijolos.


Quando o Samu de Iranduba chegou ao local, Gleidson já estava morto, mas seu corpo permanecia preso nas ferragens do automóvel. Raimunda foi socorrida e levada ao Hospital Hilda Freire, em Iranduba, com ferimentos no braço e rosto, mas o seu estado de saúde atual ainda não foi divulgado oficialmente. O velocímetro da S-10 ficou com o ponteiro fixo em 40 km/h e o caminhão continuou com os pallets que transportava na carroceria. O agricultor iria completar um mês de casado no próximo dia 20 e sua esposa, Fernanda Kelly dos Santos, 34, não se conformava com o trágico falecimento.

"No sei como viver, estou destruida. Porque Deus fez isso comigo? Não acredito mais em nada", lamentou Fernanda, aos prantos, à reportagem. Após ter sido retirado de dentro do veículo destruído pelos bombeiros, com ajuda da população que estava presente, o corpo de Gleidson deve ser levado ao Instituto Médico Legal (IML), localizado na Zona Norte de Manaus.


Publicidade
Publicidade