Publicidade
Cotidiano
NOVO ARIPUANÃ

Acusada de incendiar casa e matar duas pessoas é levada para presídio em Manaus

Lucinete da Costa Gama, incendiou casa no interior do Amazonas e foi agredida pela população. Acusada recebeu alta do Hospital 28 de Agosto e foi levada ao Centro de Detenção Provisória Feminino 28/02/2017 às 19:40
Show show mulher novo
Mulher foi agredida pela população após o crime (Foto: Divulgação)
acrítica.com Manaus (AM)

Acusada de incendiar uma casa e ser agredida pela população em Novo Aripuanã (a 229 quilômetros de Manaus), Luzinete da Costa Gama, de 30, foi liberada nesta terça-feira (28) do Hospital e Pronto-Socorro 28 de Agosto. Segundo a Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (Seap), ela foi encaminhada ao Centro de Detenção Provisória Feminino (CDPF), localizado no quilômetro 8 da rodovia BR-174.

Luzinete é acusada de provocar um incêndio que matou duas pessoas no interior do Amazonas, uma mulher identificada como Marciane Castro França, 26, e uma criança de dois anos. Outras duas crianças ficaram feridas.

O caso ocorreu no dia 7 deste mês e gerou revolta na cidade. A população chegou a depredar a delegacia do município e agredir a suspeita. Ela foi trazida para o Hospital e Pronto-Socorro 28 de Agosto e estava sob a custódia da polícia.

Lucinete sofreu queimaduras de segundo grau em várias partes do corpo, inclusive das vias aéreas, além de traumatismo craniano.

No dia do tumulto, ao menos 500 pessoas invadiram a unidade policial, quebraram vidraças e incendiaram um carro. Ela foi queimada viva pela população. Os policiais não conseguiram evitar o tumulto e 17 presos aproveitaram para fugir da delegacia.

Na ocasião, o diretor do Departamento de Polícia no Interior (DPI) da Polícia Civil, Mariolino Brito, afirmou que várias pessoas envolvidas no tumulto seriam ouvidas na delegacia e após serem identificadas, elas serão indiciadas por dano ao patrimônio público.

Ele também afirmou que todos os 17 presos, que fugiram no dia do motim, foram recapturados e retornaram para a carceragem da unidade policial

Publicidade
Publicidade